Qual é a melhor opção para o consumo: água da torneira, filtrada ou mineral?

Qual é a melhor opção para o consumo: água da torneira, filtrada ou mineral? As perguntas a seguir esclarecem as dúvidas mais comuns sobre o assunto, e você ainda encontra sugestões de filtros e purificadores

Tratada e filtrada

Posso beber água da torneira?

Sim, se a caixa-d’água de sua casa for limpa a cada seis meses e a empresa de abastecimento de sua cidade obedecer a legislação. “A portaria 518/04 do Ministério da Saúde estabelece os limites máximos de microorganismos e os padrões para o controle de qualidade”, afirma o engenheiro Pedro Mancuso, do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Em que situações devo filtrar a água?

Se você não gosta do sabor de cloro da água tratada ou não faz a manutenção da caixa, precisa usar um filtro. “Ele elimina o gosto de cloro, as impurezas e os microorganismos que estavam no reservatório”, diz Ivana Wuo Pereira, gerente do departamento de Controle de Qualidade da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Que tipos de filtro há no mercado?

Os mais tradicionais são os filtros de gravidade, como os de barro. Neles, a água passa por uma vela de diatomita (um tipo de mineral), que pode conter carvão ativado e nitrato de prata. “A diatomita e o carvão tiram o gosto de cloro e a sujeira, e o nitrato impede a proliferação de bactérias”, diz Valéria Rodrigues Gaba, da Casa dos Filtros. Ligados ao ponto de água, os modelos de pressão podem ter uma vela simples ou uma simples combinada a outra de carvão ativado, celulose ou polipropileno.

O que são purificadores de água?

Numa explicação simples, purificadores são filtros com mais camadas de filtragem e dotados de recursos para eliminar as substâncias químicas que a água tratada recebe. Existem modelos com câmaras de carvão ativado, dolomita, quartzo ou polipropileno. Outros produtos trazem membrana de fibra oca e lâmpada ultravioleta. “A primeira barra as bactérias e a segunda mata esses microorganismos”, afirma Gleisse Miguel Stucchi, diretora comercial da Europa. Existe ainda o purificador por osmose reversa, que só libera as moléculas de água e retém todo o resto.

Como cuidar de filtros e purificadores?

“Lave as velas ou faça a retrolavagem (processo automático de limpeza dos purificadores) a cada semana e troque os elementos filtrantes conforme recomenda o fabricante”, diz Ivana Wuo Pereira. As partes substituíveis duram de seis a 12 meses.

Mineral

O que é água mineral?

Diferentemente da água fornecida pelas companhias de abastecimento, a mineral é captada por meio da perfuração do subsolo e não recebe tratamento. Portanto, é 100% natural. Dependendo do local de onde é retirada, apresenta maior ou menor concentração de determinados sais minerais, como zinco, selênio, magnésio, cálcio e potássio. Para ser extraída e comercializada, precisa atender às normas do Código de Águas Minerais, do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), do Ministério de Minas e Energia, que estabelece a quantidade mínima e máxima de substâncias minerais que ela pode conter.

A água mineral é melhor do que a tratada?

Ambas são boas para o consumo. “A água fornecida pelas companhias de saneamento também é de excelente qualidade. O que incomoda é o gosto de cloro, inexistente na mineral”, diz Carlos Alberto Lancia, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam).

Como saber a procedência?

A empresa precisa ter um registro no Ministério da Saúde e o número de concessão de lavra pelo DNPM – ambos estão impressos no rótulo, bem como a composição química da água. Nos sites desses órgãos governamentais, você pode checar se a empresa está legalmente no mercado. Outra alternativa é consultar a Abinam (www.abinam.com.br) e verificar se o fornecedor é filiado à entidade.

O que observar na compra de garrafões?

Se você usa o sistema disque-água para comprar garrafões retornáveis, recuse embalagens sem rótulo, envelhecidas e com a tampa vazando. “Procure o prazo de validade do recipiente. Caso tenha mais de quatro anos, deve ser descartado”, diz Carlos Alberto Lancia. Quem reabastece o garrafão em fontanários precisa lavá-lo em casa: encha de água, adicione duas colheres de sopa de bicarbonato de sódio, aguarde 40 minutos, jogue fora a mistura e enxágüe. Lave também o bebedouro que sustenta o garrafão.

Como limpar a caixa-d’água

O serviço é trabalhoso, mas vale a pena. Faça a limpeza a cada seis meses assim:

1. Feche o registro da entrada da casa ou amarre a bóia da caixa-d’água.

2. Guarde a água da caixa em baldes para usá-la na lavagem. Deixe apenas um palmo no fundo e tampe o ralo com um pano.

3. Esfregue o interior da caixa com um pano úmido ou uma escova (nas caixas de fibrocimento). Não use detergentes ou outros produtos químicos.

4. Com o auxílio de baldes, panos e uma pá, remova a água e as impurezas até a caixa ficar vazia. Seque com panos.

5. Encha a caixa até um palmo e adicione água sanitária (2 litros para cada 1 000 litros de água). Molhe as paredes com uma caneca e espere a solução agir por duas horas.

6. Destampe o ralo e deixe a água escoar. Abra todas as torneiras e chuveiros e dê a descarga. Se ainda restar água na caixa, utilize-a para lavar pisos.

7. Com a caixa vazia, ligue o registro ou libere a bóia. Cubra com a tampa também lavada e anote a data da limpeza.

Fonte

Anúncios

Tenha uma alimentação saudável e adequada ao verão

Opte por alimentos leves, de fácil digestão e ricos em água, como saladas, frutas, sucos, smothies, legumes refogados, peixes, carnes magras, dentre outros.

Cuidado com frituras, alimentos industrializados ricos em sódio e excesso de carboidratos.  Temos que cuidar com o excesso de sal pois no calor a tendência à retenção hídrica é maior e com o excesso de sal isso só piora, sem falar nos danos que o excesso de sódio causa para a saúde.

Temos que buscar ingerir mais sucos, chás e água para repor a água e minerais perdidos pela transpiração. Água de coco, sucos naturais, frutas ricas em água como melão, melancia, laranja, maçã, sorvetes de frutas, saladas de frutas e, é claro, muita água.

Temos que ter alguns cuidados com alimentos muito pesados e de difícil digestão, isso porque o organismo precisa de energia para manter a temperatura do corpo estável e não deve perder essa energia com a digestão. Isso faz com que a digestão fique lenta e a temperatura do corpo instável. Devemos ter uma maior atenção com alimentos que estragam facilmente e podem gerar intoxicações alimentares, como maionese, creme de leite, ostras cruas, salpicão, entre outros.

A bebida alcoólica não é indicada porque ela é diurética e acabamos desidratando digamos assim. E com isso perdemos, através da urina, nutrientes essencial para a manutenção da hidratação. E bebida alcoólica é caloria vazia, engorda, e não te traz nenhum benefício.

Fonte

Os benefícios de aprender francês

O francês é uma língua europeia amplamente reconhecida em todo o mundo e a terceira mais falada no continente. Países como Suíça, Bélgica, Luxemburgo, Mónaco e todos têm o francês como língua oficial.

Francês também é falado nas Américas. O Canadá tem Inglês e francês como línguas oficiais, com muitos canadenses de língua francesa como primeira língua. Também é amplamente falado nos EUA, especialmente em Louisiana um estado com uma forte influência francesa. Por causa da colonização francesa e belga, a linguagem é também uma língua importante na África, com muitos países Africano reconhecê-la como língua oficial.

Ao aprender francês você será capaz de comunicar-se com muitas pessoas de todo o mundo. Se você visitar qualquer um dos países de língua francesa, você receberá uma experiência muito maior, falando a linguagem e ser capaz de explorar a vida e as culturas mais profunda e mais do que você teria sido capaz de antes.

Finalmente, como o ambiente empresarial está se tornando mais e mais globais as competências linguísticas que você pode abrir portas infinitas para você. Devido aos empregadores mundo globalizado amar as pessoas que falam vários idiomas, portanto, tornando as aplicações seu trabalho destacam-se da multidão e aumentar seu potencial para a promoção! As muitas oportunidades que você pode ganhar são quase infinitas, você pode começar o negócio e parcerias de organizações francesas, obter estágios em países de língua francesa ou se você for um estudante ser capaz de estudar no exterior, fortalecendo o seu grau em relação à empregabilidade futura.

Para recapitular, os principais benefícios que você pode ganhar aprendendo francês são a popularidade e expansão da língua, sendo capaz de comunicar-se com muitas mais pessoas e a força que você vai ganhar no mundo do trabalho.

Fonte

Os benefícios de aprender inglês

Líderes com inglês fluente recebem salário 25% maior, mas apenas 47% dos profissionais dominam o idioma

Que falar inglês faz a diferença no currículo de um profissional, já se sabe. A novidade é que a língua estrangeira proporciona aumento no rendimento mensal dos profissionais em até 25% em relação aos que não possuem fluência, de acordo com pesquisa do Grupo Catho com 166 mil profissionais que ocupavam cargos idênticos.

 

“Dominar inglês é essencial para quem aspira a um cargo mais alto dentro da empresa, especialmente o de liderança. Hoje, este requisito não é mais um diferencial, é fundamental em organizações de todos os portes”, afirma Margarete Lupi, gerente de Recursos Humanos de uma escola de idiomas. “Quem não está dentro deste perfil, dificilmente será escolhido para a ascensão profissional”, alerta.

De acordo com o mesmo estudo, muitas pessoas estão fora do perfil solicitado pelas companhias, pois apenas 47% dos profissionais brasileiros falam inglês. Especialistas afirmam que em poucos anos, a falta de conhecimento no segundo idioma será vista como é o analfabetismo, isto é, tendo pouca ou nenhuma competitividade no mercado de trabalho. “O mesmo vale para quem está em busca de uma oportunidade de emprego, pois, em muitos casos, os profissionais que não possuem o inglês, perdem a oportunidade de participar de diversos processos seletivos”, diz Margarete.

Mas por que então muitos profissionais ainda não falam inglês? De acordo com a pesquisa de comportamento e mercado da Alumni, os principais motivos alegados são disponibilidade limitada de horários e de tempo para dedicar ao aprendizado. Em seguida estão o investimento necessário e os resultados que desejam obter em curto prazo com foco em situações vividas no dia a dia do trabalho.

“Além dessas questões, algumas pessoas têm como obstáculos a falta de automotivação para iniciar um curso e a dedicação necessária para concluí-loAlgumas vezes há um bloqueio pessoal durante o aprendizado, de modo com que pensem que não precisam ou então não conseguem aprender, que os fazem desistir do seu objetivo”, observa Margarete Lupi.

Segundo ela, em todos os casos, a motivação, seja ela pessoal, profissional ou financeira, é o primeiro passo para adquirir fluência no idioma. No entanto, tão importante quanto ter um objetivo claro, é a escolha da instituição mais adequada de acordo com seus objetivos. “Não adianta escolher apenas pelo valor mensal, é preciso colocar na balança também o tempo necessário para atingir a fluência desejada, assim com a qualidade do corpo docente e o histórico da instituição. Caso contrário, o investimento pode ser sinônimo de desperdício de tempo e dinheiro”.

Fonte

10 benefícios psicológicos de aprender um novo idioma

Vários estudos comprovam que um segundo idioma pode beneficiar seu cérebro de diversas maneiras. Confira algumas delas:

1. Crescimento do cérebro

Como resultado de uma aprendizagem bem-sucedida os centros de língua do cérebro costumam crescer, de acordo com pesquisa publicada em 2012. Por isso, quanto mais você aprende mais as áreas vitais do seu cérebro se desenvolvem.

2. Afastamento de demência

De acordo com um estudo conduzido em 2012, o bilinguismo atrasa a doença de Alzheimer em até cinco anos nas pessoas mais suscetíveis.

3. Desenvolvimento de habilidades de escuta

Ser bilíngue pode levar a melhores habilidades de escuta, já que o cérebro precisa trabalhar mais para distinguir diferentes tipos de sons em duas ou mais línguas. Pelo menos é o que mostra um estudo realizado durante o ano de 2012.

4. Desenvolvimento de sensibilidade à linguagem

Crianças de famílias bilíngues podem distinguir idiomas de que nunca ouviram falar antes, segundo estudo publicado no ano de 2011. Dessa maneira, a exposição a diferentes sons, como o catalão e o espanhol, ajuda a perceber a diferença entre outros idiomas, como inglês e francês.

 

5. Aumento na memória

Estudo publicado no início de 2013 mostra que bebês criados em ambiente bilíngue têm memória de trabalho mais forte do que a das crianças familiarizadas com apenas um idioma. Isso representa melhor desempenho em cálculo mental, leitura e outras habilidades.

6. Aumento na capacidade multitarefas

Pessoas que falam duas línguas podem mudar de uma tarefa para outra com mais facilidade, como mostra estudo publicado em 2013. Elas tendem a apresentar mais flexibilidade cognitiva e acreditarem que é mais fácil se adaptar a circunstâncias inesperadas.

7. Aumento na capacidade de atenção

Pessoas bilíngues apresentam maior controle sobre sua atenção, além de serem mais capazes de eliminar distrações, segundo estudo de 2010.

 8. Capacidade de duplicação ativada

O aumento das funções cognitivas, como aumento de atenção e capacidade de multitarefas, se apresenta em pessoas bilíngues por conta da capacidade de manter duas línguas ativadas ao mesmo tempo, além da monitoração contínua de qual delas é mais adequada para o momento. Segundo estudo de 1999, a mudança confere benefícios mentais.

9. Desenvolvimento de múltiplos pontos de vista

Aprender uma nova língua pode mudar literalmente a maneira como você vê o mundo. Um estudo publicado em 2010 mostra que aprendendo Japonês, que possui termos básicos para azul claro e azul escuro, por exemplo, você pode passar a perceber as cores de uma maneira diferente.

10. Desenvolvimento da sua primeira língua

Uma vez que a aprendizagem de uma segunda língua aumenta sua atenção para regras abstratas e estrutura da língua, isso pode melhorar a sua língua mãe.

Fonte

 

Música acalma, estimula a memória, alivia dores e ajuda no exercício físico

Ouvir música não é só um entretenimento e uma medida para acalmar e relaxar – ela pode trazer diversos benefícios para a saúde, como alívio de dores, melhora da memória e até mesmo um estímulo para a prática de atividade física.

Isso acontece porque a música ativa o centro de prazer do cérebro, assim como o sexo e o chocolate, por exemplo. Ela libera dopamina e causa uma sensação de bem-estar e, por isso, tem sido usada por médicos, terapeutas e preparados físicos como tratamento de diversos problemas – e tem trazido ótimos resultados.

beneficios-da-musica-para-a-saude

17 Benefícios de você aprender um Instrumento Musical

O filósofo chinês Confúcio disse há muito tempo, e me parece que realmente faz muito tempo, que “a música produz um tipo de prazer que a natureza humana não pode prescindir” .

A verdade é que tocar um instrumento musical tem muitos benefícios, se você é homem já deve estar pensando em “mulheres”, bem, não é este o caso, hoje vamos falar de outros valores. Este artigo irá fornecer-lhe 17 benefícios de tocar um instrumento (sem uma nenhuma ordem particular) e espero dar-lhe um sentido melhor de apreço e paixão pela música.

1. Aumenta a capacidade de sua memória

Uma pesquisa mostrou que tanto ouvir música, quanto tocar um instrumento musical, estimulam o seu cérebro e pode aumentar sua memória. Um estudo foi feito em 22 crianças da idade 3-4 anos que receberam ou aulas de canto ou aulas de teclado. Ao contrário, um outro grupo de 15 crianças não recebeu aulas de música. Ambos os grupos participaram das mesmas atividades pré-escolares. Os resultados mostraram que as crianças pré-escolares que receberam aulas de teclado semanais melhoraram suas habilidades de espaço-temporal de 34 por cento a mais do que as outras crianças. Não só isso, mas os pesquisadores disseram que ainda há efeitos a longo prazo. (http://brainconnection.positscience.com/topics/?main=fa/music-education2#A1)

2. Refina a sua gestão de tempo e habilidades organizacionais

Aprender a tocar um instrumento exige que você realmente aprenda a ser organizado e de gerir o seu tempo com sabedoria. Um bom músico sabe que a qualidade do tempo de prática é mais valiosa do que a quantidade. Para que um músico possa progredir mais rápido, ele deve aprender a organizar seu tempo de maneira prática e ainda definir metas, fazendo uso eficiente do tempo.

3. Desenvolver a competência de: Trabalho em Equipe

Saber trabalhar em equipe é um aspecto muito importante para ser bem sucedido na vida. Tocar um instrumento exige que você trabalhe com os outros para fazer música, ou mesmo aprender. Em bandas e orquestras você deve aprender a cooperar com as pessoas ao seu redor. Além disso, para que um grupo consiga executar uma música de maneira perfeita, cada músico deve aprender a ouvir o outro e tocar junto.

4. Ensina perseverança

Aprender a tocar um instrumento leva tempo e muito esforço, o que realmente lhe ensina paciência e perseverança. A maioria das pessoas não consegue tocar qualquer música perfeitamente de primeira. Na verdade, a maioria dos músicos tem que trabalhar nas partes mais difíceis de uma música durante muito tempo.

5. Melhora a sua coordenação

A arte de tocar um instrumento exige muita coordenação olhos-mãos-dedos-pulsos-movimentos-braços. Ao ler as notas musicais em uma página, o seu cérebro, subconscientemente deve converter essa nota em padrões motores específicos, dispondo também de respiração e ritmo.

6. Melhora sua habilidade matemática

Ler música requer notas, contagem, compasso e ritmo, o que pode ajudar suas habilidades matemáticas. Além disso, a teoria de aprendizagem musical inclui muitos aspectos matemáticos. Estudos

7. Melhora as suas habilidades de leitura e compreensão de textos

De acordo com um estudo publicado na revista Psychology of Music, “As crianças expostas a um programa de vários anos de ensino musical, envolvendo a formação mais complexa de habilidades rítmicas, tonal e práticas de instrumentos musicais, exibiram desempenho cognitivo superior em habilidades de leitura e compreensão de textos, em comparação com os “não treinados” musicalmente.”

Não é surpreendente ouvir resultados como esse porque a música envolve leitura e compreensão constantes. Quando você vê notas em preto e branco em uma página, você tem que reconhecer o que é o nome da nota e traduzi-lo para uma posição com os dedos. Ao mesmo tempo, você também tem de definir o ritmo.

 8. Aumenta sua responsabilidade

Tocar um instrumento também é uma responsabilidade. A manutenção e o cuidado são muito importantes para manter um instrumento em boas condições de funcionamento. Cada instrumento tem procedimentos diferentes para se manter funcionando, mas a maioria dos instrumentos precisam de limpeza e alguma forma de lubrificação. Além das responsabilidades de manutenção, existem outros aspectos como lembrar de eventos musicais (como ensaios e apresentações) e organizar o tempo para o estudo e prática.

9. O Expõe a história cultural

Boas Músicas muitas vezes refletem o ambiente e o tempo de sua criação. Por exemplo, músicas do movimento Tropicalista, de Caetano, Gilberto Gil… lembram bem os tempos de opressão do militarismo. E também você aprende uma variedade de tipos de música, com tradições, regionalismos, a música popular, medieval e outros gêneros. A música em si é história, e cada uma normalmente tem o seu próprio plano de fundo e um enredo.

10. Aguça a sua concentração

Reprodução de música por si mesmo requer que você se concentre em coisas ao mesmo tempo, como ritmo, altura, tom, melodia, duração da nota e qualidade de som. Reprodução de música em um grupo/banda envolve concentração ainda mais porque você não apenas deve ouvir a si mesmo, mas você tem que ouvir todas os outros instrumentos, e se esforçar para manter a harmonia.

11. Promove a sua auto-expressão e alivia o stress

É o seu instrumento, assim você pode tocar o que quiser nele! Quanto mais avançado você se tornar em um instrumento, mais músicas você poderá tocar. E a música, taoca por você mesmo, é uma forma de expressar sua emoção. Isto tem provado aliviar o stress e pode ser uma excelente forma de tratamento. Aliás, a musicoterapia tem sido útil no tratamento de crianças e adolescentes com autismo, depressão e outros distúrbios.

12. Cria um sentimento de conquista

Superar desafios musicais que você pensou que nunca conseguiria, pode dar-lhe um grande sentimento de orgulho sobre si mesmo. Quando você começa a aprender a tocar um instrumento, por exemplo, parece que apenas o fato de conseguir segurar uma nota com uma batida assertiva, ou conseguir tocar uma sequência pequena de acordes, é um feito incrível. E quando você pratica e se torna um músico mais experiente, sua música torna-se agradável não só a você mesmo, mas também as outras pessoas ao seu redor, o que é uma experiência gratificante.

13. Promove suas habilidades sociais

Tocar um instrumento pode ser uma ótima maneira de melhorar suas habilidades sociais. Algumas das melhores pessoas se juntam em bandas e orquestras, e muitas vezes os amigos que você faz pela música se tornam como uma família. É muito comum as pessoas para ganharem amizades para a vida toda por meio de atividades musicais.

14. Aumenta as suas habilidades de escutar

Embora seja bastante óbvio, tocar um instrumento exige que você ouça tudo com muita atenção. Você tem que aprender a ouvir quando você está tocando uma nota errada, a fim de corrigir a si mesmo. Ajustando o seu instrumento significa ouvir se o tom que você está tocando é alto (agudo) ou baixo. Quando tocar numa banda, você tem que ouvir a melodia e tocar mais suave se você é um instrumentista de suporte (acompanhamento). Há muitos exemplos para listar todas as possibilidades aqui, mas é só tocar um instrumento que está garantido a melhora nas suas habilidades de escuta.

15. Ensina disciplina

Como mencionado anteriormente, tocar um instrumento pode ser muito desafiador. Uma das qualidades que os músicos aprendem é a disciplina. Praticar muitas vezes e trabalhar nas partes duras da música e não apenas o material fácil e divertido, exige disciplina. Os melhores músicos do mundo são mestres da disciplina, e é por isso que eles são tão bem sucedidos em seu instrumento.

16. Eleva as habilidades de seu desempenho e reduz o medo do palco

Um dos objetivos da prática excessiva em seu instrumento é que o que você consegue tocar sozinho, consiga também realizar para os outros. Quanto mais você se levanta na frente das pessoas para tocar, mais você vai perde qualquer medo do palco. Tocando no palco em uma banda ou orquestra contribui com medo do palco, porque você não está sozinho.

17. Promove a felicidade em sua vida e aqueles ao seu redor

Tocar um instrumento musical pode ser muito divertido e emocionante. Não só é divertido para tocar a música que você gosta, mas é maravilhoso ouvir o público aplaudi-lo, após um grande desempenho. Ele também pode ser muito honroso e gratificante para tocar em sua comunidade, para os amigos, família e ver a felicidade no rosto das pessoas porque eles gostam de ver você tocar.

Conclusão

Como você pode ver tocar um instrumento musical tem muitos benefícios e espero que este humilde texto de um certo “start” e motive-o a começar em um instrumento musical, ou mesmo continuar praticando e sempre, para manter a música em alto nível. Sempre que você se deparar com desafios como músico, pense sempre que no final, os benefícios são incontáveis.

Fonte