Alimento em pó que pode acabar com a fome e o desperdício de comida no mundo

De acordo com pesquisas,a fome poderia deixar de existir se alimentos como frutas e vegetais, com validade próxima ao vencimento, passassem por uma etapa de secagem e fossem processados até virar pó, retendo até 80% dos nutrientes e prolongando a vida útil dos alimentos por até dois anos.

A ideia é uma resposta ao consumo irracional de alimentos, que quando vencidos são jogados fora. Estima-se que anualmente 1.760 milhões de toneladas de alimentos são descartados; o equivalente a 750 bilhões de dólares, em termos de perdas econômicas, de acordo com a Organização das Nações Unidas da Alimentação e Agricultura (FAO).

O projeto é da FoPo, e será introduzido primeiramente nas Filipinas com o apoio do governo local e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e da FAO. A FoPo disponibilizará “pós alimentares” nos sabores abacaxi, banana, framboesa e manga, que podem ser consumidos como complementos nutricionais e como ingrediente para receitas como bolos, iogurtes e sorvetes.

Fonte

Anúncios

Artista turca faz pinturas incríveis em cascas de ovo

Süreyya Noyan é uma artista turca que levou a ideia de pintar cascas de ovos a um novo patamar, criando verdadeiras obras de arte nestas superfícies. Cada pintura é feita com todo o cuidado dentro dos ovos após uma parte da casca ser quebrada.

Muitos dos desenhos são recriações de obras arquitetônicas ou quadros famosos. Entre reproduções estão obras de Gustav KlimtEdvard Munch e Van Gogh.

Fonte

A rotina de Licia e Ryan fotografada pela neta

Licia e Ryan casaram-se há 57 anos na Itália. Os dois passaram toda a vida juntos e estão hoje com 85 anos. Durante dois anos a fotógrafa italiana e neta do casal Marina Rosso fotografou os avós de 2009 à 2011, durante sua visita nos almoços de domingo. Marina afirma que depois que começou a fazer as fotos dos avós, ela foi capaz de promover um relacionamento mais próximo entre eles.

Com um ritmo um pouco mais lento, todos os dias parecem com os outros. É como se cada movimento fosse uma repetição. Mas é isso que os mantém ainda vivos: a ideia do casal ser auto-suficiente e ajudando, toda hora, um ao outro.

Com esta série íntima, é evidente a parceria, o envelhecimento, a cumplicidade, o amor e o compromisso mútuo. “É difícil, em um determinado ponto, dizer onde um termina e o outro começa.“, observa a neta, carinhosamente.

Fonte