Para manter o amor vivo, marido de 91 anos lê diário para mulher com amnésia

 

O inglês Jack Potter não quer que sua esposa Phyllis esqueça o amor que os une há mais de 70 anos. Sabendo que Phyllis sofre de demência e falta de memória, o homem visita todos os dias a casa de repouso na cidade de Rochester, Inglaterra, e lê para ela o diário que guarda desde o dia em que se conheceram. Vale a pena ler a reportagem completa

 

117

Anúncios

Documentário “Comprar, tirar, comprar (Comprar, Jogar Fora, Comprar – Obsolência Programada)”

Documentário produzido pela TVE espanhola que trata da obsolescência programada, uma estratégia que visa fazer com que a vida de um produto tenha sua durabilidade limitada para que sempre o consumidor se veja obrigado a comprar novamente. Essa prática tem gerado montanhas de resíduos, transformando algumas cidades de países de terceiro mundo em verdadeiros depósitos, sem falar no desperdício de matéria prima, energia e tempo. 

PARA REFLETIR: QUAIS OS OBJETOS MAIS IMPORTANTES DA SUA VIDA?

 

 

 

Série de fotos mostra refugiados e os objetos mais importantes de suas vidas

BrianSokol10Mais de 100 mil refugiados já cruzaram a fronteira entre o estado de Nilo Azul, no Sudão, e o estado do Alto Nilo, no Sudão do Sul. Passando fome, doenças e outras privações durante a viagem, alguns deles mostram ao fotojornalista Brian Sokol quais os objetos mais importantes de suas vidas.

Os números impressionam e as desumanas condições por que passam essas pessoas também. O drama dos refugiados no Sudão do Sul tem várias caras e Brian Sokol foi conhecê-las, acabando por criar o projeto The Most Important Thing. Nele os refugiados mostram o que conseguiram trazer na viagem e que é fundamental nas suas vidas. Veja a reportagem completa. As fotos e os objetos selecionados pelos refugiados nos fazem refletir…

 

O VIOLÃO

dIEGO_r

A história do violão que hoje conhecemos, começou a ser descoberta há aproximadamente dois mil anos antes de Cristo.

Os arqueologistas encontraram placas de barro com figuras seminuas tocando instrumentos musicais, muito similares ao violão atual (1900-1800 a.C), na antiga Babilônia.  Um exame mais detalhado nos mostra que há diferenças significativas no corpo e no braço.

Além de possuir algumas diferenças principalmente no corpo do instrumento e nobraço, o fundo é chato e com isso não há nenhuma relação com o alaúde, de fundo côncavo. As suas cordas são pulsadas com a mão direita, e o número de cordas não se dá para precisar,  mas em algumas placas pelo menos duas cordas são visíveis.

Os instrumentos de cordas pulsadas que hoje conhecemos, tiveram sua origem histórica a partir da Lira, instrumento de cordas usado pelos antigos Gregos e Egípcios.

O primeiro instrumento de cordas que se tem notícias que chegou ao Brasil foi aviola de dez cordas ou cinco cordas duplas, muito popular entre os portugueses e precursora do violão, trazida pelos jesuítas portugueses que aqui chegaram para catequisar os índios e a usavam durante a catequese.

A primeira notícia que se tem sobre este instrumento no Brasil, ocorre no século XVII em São Paulo, vendida por um preço exorbitante na época, por dois mil réis e pertencente a um bandeirante chamado Sebastião Paes de Barros.

violão é um instrumento muito usado na música popular brasileira e pelo povo. violão no Brasil desenvolveu-se, basicamente, em dois grandes eixos da expressão da arte no Brasil: Rio de Janeiro e São Paulo. Onde surgiram a grande maioria dos grandes violonistas brasileiros, que obtiveram sua formação instrumental com os professores que moravam nestas cidades.

A música brasileira para violão tem por base a pequena obra de Villa-Lobos, que foi um importante compositor e violonista brasileiro, que conta basicamente com 12 estudos sobre violão.

Você pode aprender violão na Lareira!

Fonte

NA DANÇA COM IDOSOS

por Kazuhiro Kurita em mar 07, 2013
Revista vidaqui edição 371 março 2013

lareira_danca

A Lareira – Instituição Monsenhor Benedicto Mário Calazans foi fundada em 1946. Sua missão é acompanhar, orientar e oferecer formação familiar, cultural, social e espiritual para comunidade, para que ela possa crescer no conhecimento, refletir sobre seus interesses e repensar o seu papel e o seu valor. Sediada desde 1983 na Vila Mariana, a Lareira desenvolve uma serie de atividades gratuitas em sua maioria. Sua programação inclui palestras, cursos, reuniões para toda a família e a cada um de seus componentes. A Instituição tem também uma preocupação constante com os idosos. Por este motivo, desenvolve o “Projeto na Flor da Idade”, que engloba nas necessidades para uma vivência saudável nesta faixa etária.Segundo a coordenadora administrativa Marisa Vaz de Almeida, o programa é totalmente gratuito. “Ele tem como objetivo proporcionar diversas atividades com a proposta de resgatar aspectos positivos, como a vontade de realização, e rechaçar a ideia de envelhecimento”, explica.A “Hora da Ginástica” busca proporcionar qualidade de vida por meio da convivência e da prática de exercícios físicos. A atividade compreende exercícios físicos para aumento da capacidade funcional, estímulo da autoconfiança e autoestima, socialização, aumento da resistência física, atividades em grupo e estímulo de aspectos cognitivos e senso de percepção.No “Projeto Arte de Fazer Arte”, a Lareira promove encontros de atividade social. Ele é realizado semanalmente, com atividades artesanais para idosas, contribuindo com o resgate da autoestima, valorização da vida e proporcionando o estreitamento de laços por meio da convivência mútua.A psicóloga clínica Marilene Simões é responsável pelas dinâmicas de grupo e oficina de memória “Ativamente”. Nelas são trabalhados temas pertinentes à terceira idade, resgate da autoestima, da subjetividade e da socialização.Uma novidade na Lareira são as aulas de danças de salão, ministradas pelo professor Renato. Elas foram adaptadas às possibilidades dos idosos, com o objetivo de divertir e beneficiar a saúde. A característica principal é a realização de movimentos, principalmente em roda, com a proposta de socializar e integrar, promovendo ativações físicas, mentais e emocionais.A Instituição também oferece o curso “Navegando na Web”, ministrado por Paula Miranda, que criou uma metodologia própria ao ritmo e demanda dos idosos. Ele é aplicado de maneira lúdica e curiosa para que os alunos se sintam à vontade enquanto aprendem a manipular o computador.O curso “Alfabetização para Jovens e Adultos” agora é um convênio com a Prefeitura. As aulas de segunda a quinta, das 19 às 21h30, são gratuitas e ministradas pela professora Doralice Tavares. O assistente social da Lareira, Eduardo Henrique da Silva, explica que o curso tem como objetivo não só a alfabetização, mas também o desenvolvimento do indivíduo por meio da educação básica e consequente encaminhamento para uma formação mais completa para o mercado de trabalho.
Cursos profissionalizantesA Lareira também oferece cursos profissionalizantes visando inclusão social. Um deles é o de formação para garçons e garçonetes ministrado pelo gerente do Buffet Colonial, José Carlos Carneiro Martins. O curso é gratuito e forma novos profissionais no ramo de bares, restaurantes, hotéis e navios em quatro aulas. Martins diz que as aulas envolvem teoria sobre origens e tipos de serviços na arte de servir. “Procuro ensinar o que o mercado pede e exige, como etiquetas e gentileza no trato com o cliente, embora o manejo da bandeja seja primordial”, explica. O garçom é o relações públicas do estabelecimento. Tudo que fizer é para o bem ou para o mal. Não adianta a comida ser ótima se o atendimento for ruim. “O simples ato de puxar uma cadeira para a dama se sentar pode representar muito para o cliente. Com esse ato singelo, pode se tornar um vendedor, um parceiro do estabelecimento”, ensina.A Lareira promove, ainda, o Curso de Capacitação para Cuidador de Idosos. Ele é profissionalizante e reconhecido pelo Ministério da Saúde. Com uma carga horária de 160 horas, é um curso completo, abordando temas como o processo de envelhecimento, principais doenças, prevenção de quedas e o papel do cuidador, entre outros, inclusive com estágio em casa de repouso. O curso oferece uma ampla formação para quem quer se inserir na profissão, que está em crescimento. Para se inscrever, o interessado tem que ser maior de 18 anos e ter concluído o Ensino Fundamental. O investimento é de R$ 300,00.Outros cursos não gratuitos também são ministrados, como o curso básico de fotografia, de inglês, violão, francês e informática.

Fonte