Feliz Natal 2014!

«O Senhor, teu Deus, está no meio de ti como poderoso salvador! Ele exulta de alegria por tua causa, pelo seu amor te renovará» (Sofonias 3, 17).

c5d6ad10cb5e478862f0aded790df977-christmas-nativity-scene-2

Aquele que os profetas anunciaram, a Virgem Maria esperou com amor de Mãe e o coração da humanidade aguarda com anseio, nasceu para nós! É Natal do Senhor! É nosso Natal também!

A Instituição Lareira compartilha da alegria de anunciar o nascimento do Salvador em cada lar e em cada coração.

Que a sua chegada renove a nossa esperança e nos encha de paz e alegria!

Feliz Natal! E venturoso Ano-novo!

Instituição Lareira 

Anúncios

Brasil é reconhecido por políticas públicas em favor de idosos

Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem 20,6 milhões de idosos. Número que representa 10,8% da população total. A expectativa é que, em 2060, o país tenha 58,4 milhões de pessoas idosas (26,7% do total). O que explica esse aumento não é só a melhoria da qualidade de vida, que ampliou a expectativa de vida dos brasileiros, que pulará de 75 anos em 2013 para 81 anos em 2060 – com as mulheres vivendo, em média, 84,4 anos, e os homens 78,03 anos -, mas também a queda na taxa de fecundidade dos últimos 50 anos, que passou de 6,2 filhos nos anos 1960 para 1,77 (estimativa) em 2013. O governo federal vem tomando medidas e estabelecendo políticas que ajudem a melhorar a qualidade de vida da pessoa idosa. O Pacto pela Vida, de 2006, propôs explicitamente a questão do ciclo do envelhecimento como um tema fundamental na área de saúde, e o Estatuto do Idoso, de 2003, assegura, por exemplo, o tratamento de saúde e a assistência de um salário-mínimo para todo idoso que esteja na linha de pobreza.

Foram esses avanços que colocaram o Brasil na 31ª posição no ranking dos países que oferecem melhor qualidade de vida e bem-estar a pessoas com mais de 60 anos, segundo o Global AgeWatch Index 2013, da organização não-governamental Help Age International, que luta pelos direitos dos idosos. Os indicadores consideraram quatro áreas-chave: garantia de renda, saúde, emprego e educação, e ambiente social. O Brasil obteve nota 58,9 e seu melhor desempenho foi na categoria garantia de renda, em que ocupou a 12ª posição, graças às transferências de renda implementadas pelo governo brasileiro, como forma de reduzir a desigualdade social. No entanto, no quesito emprego e educação para pessoas entre 55 e 64 anos empregadas, e o grau de instrução dos idosos, o País teve o seu pior desempenho, ficando em 68º lugar. Já nas categorias saúde e ambiente social, o obteve as 41ª e 40ª colocações, respectivamente.

Segundo a coordenadora do Sistema de Indicadores de Saúde e Acompanhamento de Políticas do Idoso – Sisap-Idoso, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica (Icict/Fiocruz), Dália Romero, nos últimos dez anos, o Brasil pode não estar nas condições ideais, mas obtivemos grandes avanços na área. Ela cita como exemplo o cuidado domiciliar, que é uma normativa do Estatuto do Idoso: “é o intermeio entre o cuidado hospitalar e o atendimento em casa. Ainda falta implementar, mas foi uma grande conquista”.

SUS

A Fiocruz disponibiliza um Banco de Práticas e Soluções em Saúde e Ambiente, o IdeiaSUS, no qual qualquer cidadão pode conferir algumas práticas desenvolvidas em todo o País para o atendimento da população e o que está dando certo. No banco, que é uma parceria entre a Fiocruz, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), o profissional e o gestor de saúde registram e compartilham técnicas, práticas, ações, iniciativas, projetos e programas para o enfrentamento nas áreas de saúde e ambiente, com foco no SUS.

A pesquisadora Dália Romero destaca que, com a atenção básica, houve uma redução nos custos do próprio sistema, “e muitas pesquisas comprovam isso”, afirma. De qualquer forma, a maneira de reduzir os custos do SUS pode ser investir mais na atenção básica. “Podemos diminuir os custos se incorporamos a prevenção dentro do SUS”, fala Dália Romero e exemplifica citando o caso do Rio de Janeiro: “Quando se implanta a atenção básica no Rio de Janeiro, que é muito recente, notamos que diminuíram muito as internações por doença como asma, gripe etc. E evitar uma internação, tratar dentro de casa com a atenção básica, isso já é um grande ganho para a qualidade de vida do idoso”, explica a coordenadora do Sisap-Idoso.

Atenção básica

Para melhorar a qualidade de vida do idoso é fundamental também se falar no atendimento básico que ele terá ao chegar ao SUS e, para isso, há um esforço tanto da Fiocruz, quanto do Icict, para incorporar o tema “saúde do idoso” dentro da atenção básica. Para isso, a Fundação vem investindo em cursos e capacitações voltados à atenção básica para a área de saúde do idoso. Apenas o Icict já capacitou cerca de 100 coordenadores estaduais e municipais.

Segundo Dália Romero, “foi um grande passo o Ministério da Saúde entender que tínhamos que capacitar a atenção básica não só para atender crianças e mulheres grávidas, mas também para atender idosos”, explica. Em um projeto – Análise do nível, estrutura e tendências das internações de idosos por condições sensíveis à atenção primária (CSAP) no Rio de Janeiro e Minas Gerais – Comparação da efetividade do SUS e das condições de saúde dos idosos – coordenado pela pesquisadora, que conta com o apoio do CNPq, o foco é justamente a avaliação da atenção básica. “Estamos tentando avaliar como indicador a internação por condições sensíveis à atenção básica, que nos dará uma ideia de como ela está. Na realidade, o indicador diz: ‘na medida em que tivermos mais internações por conta daquela doença, que teria que ser tratada na atenção básica, pior será o desempenho dessa atenção básica’. No momento, estamos comparando o desempenho do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte”, explica.

A pesquisadora acredita que, com esse indicador, será possível monitorar a atenção básica no País. “É por meio dele que poderemos avaliar a qualidade de vida do idoso”, destaca. Afinal, como explica Dália, “qualidade de vida não é sobrevivência, que é um dos objetivos de um hospital. Qualidade de vida é conviver com uma doença crônica, tratar bem e evitar complicações. E, nesse sentido, temos um grande avanço no Brasil com a atenção básica e está ficando muito mais nítido o que está sendo feito para melhorar a qualidade de vida do idoso”.

Um outro instrumento que ajudará a melhorar a atenção básica é a nova Caderneta do Idoso – projeto solicitado pela Coordenação Técnica de Saúde do Idoso, do Ministério da Saúde, ao Icict. A caderneta foi apresentada aos coordenadores estaduais e municipais de Saúde do Idoso em novembro, em Brasília, e será lançada no primeiro semestre de 2014.

Fonte:

Fundação Oswaldo Cruz

Temporada de férias 2014/2015 terá os dois primeiros cruzeiros sênior do Brasil,

Segundo Roberta Lage, proprietária da Tam Viagens Morumbi, um dos passeios mais procurados por idosos são cruzeiros marítimos nacionais ou internacionais. “Para a temporada 2014/15, a novidade são os dois primeiros cruzeiros sênior do Brasil, a bordo de navios da Costa Cruzeiros e Pullmantur.

InternaIDOSOS

O primeiro terá início em 1º de março, partindo de Santos com paradas em Búzios, Salvador e Ilhabela. A viagem celebrará os 50 anos da Jovem Guarda e terá como madrinha a eterna Garota de Ipanema, Helô Pinheiro. O segundo sairá em abril e terá programação especial e muitos shows”, adianta Roberta.

Quem preferir uma viagem sertaneja, tem também a bordo do Splendour od the Seas. A empresa Costa Cruzeiros tem ainda seis temáticos, que englobam dança, saúde, bem-estar e culinária. A Royal Caribbean International repete o sucesso do Royal Gourmet, além de seguir com o Royal Dance e o Royal Life, já tradicionais na temporada. Já a MSC Cruzeiros mantém seus quatro temáticos usuais, com opções para fitness, dança com tango e molinha, beleza e qualidade de vida.

Fonte

 

 

Os idosos modernos não têm preguiça quando o assunto é passear. Por isso, a distância não importa. Segundo a consultora de viagens da CVC, Márcia Paes, China, Dubai, Grécia e Turquia estão na lista dos destinos mais procurados. “A Europa em geral tem sido uma viagem bastante escolhida por turmas de mais idade”, conta Márcia. Mas, não são só outros países que recebem os animados senhores, não. Foz do Iguaçu, Bonito, Porto Seguro e Rio de Janeiro também são paradas procuradas. Na Scharlack Viagens os destinos para onde há jogos estão em alta. De acordo com Regiani Scharlack, proprietária da agência, os turistas estão montando grupos para participar de campeonatos em cassinos. “Las Vegas, por exemplo, é um lugar bem cotado pelos brasileiros mais experientes”, revela Regiani.

Cadeiras para idosos

As pessoas idosas podem sofrer de uma ou mais doenças que as impedem de sentar em cadeiras de plástico, madeira ou aço. Uma cadeira sem braços ou um banco não oferecem apoio suficiente para a maioria dos cidadãos idosos (especialmente ao se levantarem), portanto o conforto e o valor terapêutico precisam prevalecer sobre a beleza e o estilo.

As cadeiras altas oferecem conforto e apoio extra:

Cadeiras estofadas da sala de estar com apoios de costas altos oferecem um suporte sólido para as costas de um idoso. Um assento com apoio para os braços proporciona aos um local para se segurarem se tiverem problemas para se levantar.

Cadeiras de banho para mobilidade no banheiro:

À medida que as pessoas envelhecem, torna-se mais difícil para se locomoverem no banheiro, bem como entrar e sair da banheira. Uma cadeira de banho facilita esse processo para os idosos que possuem pernas fracas ou problemas para ficar em pé e se mover no chuveiro.
Opte por uma cadeira com apoio para as costas e pés redondos que podem descansar sobre a frente da parte curvada da banheira sem balançar. Esta cadeira deve ter barras de apoio nos dois lados da cadeira, e o assento texturizado e ajustável para evitar que a pessoa escorregue. Ela também é uma boa cadeira para idosos que precisam de apoio para sair do banho.

Cadeira reclinável:

Ideal que apenas o assento se mova, não a cadeira toda, que tenha alavancas para elevar e abaixar o assento, e que as pernas sejam ajustáveis para acomodar sua altura. Isso faz com que a cadeira suba com o usuário para ajudá-lo a se levantar.

Fonte

Estatuto do idoso atualizado em 2014

Houve um complemento no Estatuto do Idoso de 2012, fique ligado nas novidades e informações sobre essa lei que ajudou muito a população brasileira.

untitled2

Iniciativa do Projeto

O Estatuto do idoso teve a criação do deputado federam Paulo Paim, o projeto está vinculado pela lei nº 3.561 de 1997. Toda essa mobilização foi fruto dos aposentados e pensionistas que lutaram por justiça no país, e teve apoio da Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas  (COBAP), é foi uma grande vitória para a sociedade e os idosos que nela fazem parte.

Depois que longos sete anos lutando no Congresso por mais prioridade nos direitos públicos, sendo assim o Estatuto do Idoso teve aprovação em setembro de 2003 pelo presidente da República.

Objetivo

Após a lei sancionada, os direitos dos cidadãos acima de 60 anos de idade foi ampliada dando mais tranqüilidade e qualidade de vida para essa população da terceira idade. Junto com ela foi declarada também a pena pelo código de justiça para quem desrespeitar esses direitos dados aos idosos.

Estatuto Atualizado em 2014

Em 2012 saiu uma nova legislação que do complemento para o Estatuto do Idoso, sendo assim podemos perceber o desenvolvimento que nosso país está tendo e o cuidado com a nossa terceira idade. Muitos dizem que a saúde e o cuidado público são precários, não podemos afirmar isso em geral, pois vimos que estamos em constante evolução, apesar de serem um pouco complexa e geral vários debates, mas estamos em constante evolução.

Fonte

Com o tema Protagonismo e Empoderamento, Conferência Nacional do Idoso será em 2015

A 4ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa será realizada em outubro de 2015 com a temática “Protagonismo e Empoderamento da Pessoa Idosa – Por um Brasil de Todas as Idades”.

O presidente do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso (CNDI) e secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (SDH/PR), Biel Rocha, explicou que o debate tem o objetivo de sensibilizar as instituições, a sociedade e os próprios idosos sobre a importância da sua participação ativa no meio social. “É importante que a pessoa idosa seja protagonista na efetivação dos seus direitos. Nosso objetivo é romper com os preconceitos de que o idoso é inativo ou incapaz”, afirmou.

A última Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa foi realizada em novembro de 2011. O tema central em debate foi o “Compromisso de Todos por um Envelhecimento Digno no Brasil”.

Fonte

Projetos buscam facilitar o dia a dia dos idosos

Trabalhos do Instituto Nacional de Tecnologia utilizam a ergonomia para desenvolver soluções tecnológicas adequadas a esta população.

2014_02_07_ergonomia_web1

Dois projetos desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCTI) utilizam a ergonomia (ciência que estuda a interação do ser humano com as máquinas, equipamentos, ambientes e sistemas), como base para facilitar o dia a dia dos idosos.

Os trabalhos são desenvolvidos pelo Laboratório de Ergonomia (Laber/INT) em parceria com o Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (Cepe). Os estudos contam com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

Projeto Casa Saudável

O Projeto Casa Saudável – Parâmetros Ergonômicos para Concepção e Adequação do Layout de Residências para Idosos desenvolve soluções para problemas posturais, de conforto e de segurança, de forma a minimizar os riscos de acidentes observados nos ambientes domésticos e de trabalho.

Para desenvolvê-lo, o Laber emprega métodos como a análise de uso de produtos e a análise ergonômica do trabalho (AET). Os dados permitem conhecer as interfaces dos produtos com seus usuários, possibilitando adequar suas características às necessidades encontradas.

Já a AET detalha as atividades que esse conjunto de pessoas executam, levando a um diagnóstico que permite reprojetar os artefatos com os quais as pessoas interagem cotidianamente, adequando-os às capacidades e limitações desses usuários. Para essa avaliação, a pesquisa utilizará sistema de circuito fechado de televisão (CFTV) com câmeras instaladas com consentimento dos idosos em pontos de suas casas.

Os dois métodos são aplicados no estudo de situações encontradas no interior das moradias dos idosos, gerando parâmetros ergonômicos para a concepção e a adequação do layout das residências às características dessa população. Os testes finais são realizados em ambientes domésticos simulados, montados na sede do Cepe, que servirão como showroom para divulgação dessas referências.

Projeto Plataforma Digital

O segundo projeto, intitulado de Plataforma Digital, incorpora dados antropométricos da população de idosos e pode ser aplicada ao treinamento de cuidadores. Criando uma base de dados com medidas corporais detalhadas 1D e 3D (tridimensional) de idosos,  com o escaneamento a laser  3D  o projeto tem duas frentes.

Uma delas é o próprio levantamento antropométrico, que, mesmo restrito ao estado do Rio de Janeiro, disponibilizará medidas 1D e 3D da população idosa, gerando parâmetros inéditos para o desenvolvimento de projetos arquitetônicos e produtos que contribuirão para a melhoria da qualidade de vida dessa população.

Em outra frente, o trabalho incorpora movimentos capturados das técnicas de manipulação utilizadas pelos cuidadores de idosos. Essas ações são colhidas por meio de sistemas de captura de movimento e de escaneamento 3D também desses profissionais.

Cruzando essas informações com a dos idosos, será desenvolvida a plataforma digital para auxiliar na capacitação de cuidadores. A partir da simulação de movimento humano, como nos videogames, mas com precisão de medidas e movimentos, os profissionais em formação poderão testar e aprimorar suas habilidades na interação com os idosos.

>>  Leia a matéria completa.

Fonte:
Instituto Nacional de Tecnologia
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação