Samsung lança mouse comandado pelos olhos

Samsung apresentou um aparelho que rastreia o movimento dos olhos. A ideia é permitir que o movimento ocular seja usado para controlar as ações de um computador e executar tarefas como mover o cursor e rolar páginas, entre outras possibilidades.

size_810_16_9_olho

O aparelho se chama Eyecan+ e fisicamente tem mais ou menos o tamanho de receptores de sinal de TV paga. Acoplada debaixo de monitores, a tecnologia transforma a atividade dos olhos em ações práticas reproduzidas no computador. O principal objetivo é ajudar pessoas incapazes de se mover em virtude de alguma deficiência motora.

A comercialização dos produtos, pelo menos por enquanto, não está nos planos da Samsung, que pretende doar os aparelhos para instituições de caridade. Tanto o software quanto o hardware terão suas configurações e arquitetura abertas em breve, segundo a empresa sul-coreana.

Não é a primeira vez que a marca desenvolve tal tecnologia. O primeiro “mouse ocular” foi lançado em 2012. O novo produto, entretanto, teve melhorias na calibragem e na interação com os usuários.

Fonte

Anúncios

Manual da boa sogra

Saber o que fazem essas mulheres que desafiam o estereótipo depreciativo das sogras é um bom começo para refletir sobre as próprias atitudes e mudar o que for necessário. Afinal, toda mãe deseja o bem de seus filhos e a boa convivência com a família deles é primordial. Claro que não existe um modelo único a ser seguido, até porque os relacionamentos são muito complexos para serem modulados todos da mesma forma. Mas é possível seguir alguns exemplos de forma geral e refletir como colocá-los em prática na própria vida. Nesse sentido pensei em um manual sem, contudo, ter a pretensão de simplificar as relações e gerar modelos prontos; a ideia é provocar reflexões.

A boa sogra

    • 1- Não conhece rivalidade

      Genros e noras são novos filhos e chegam para acrescentar no convívio familiar. Dessa forma, não são rivais e não representam perigo e não há porque competir com eles por nada, nem mesmo pelo amor ou pela presença dos filhos.

    • 2- Reconhece a nova família do filho

      Entende que assim como um dia ela casou com o filho de alguém, agora é seu filho ou filha que sai de casa para formar uma nova família. Compreende a necessidade de eles terem a própria vida e formar, a seu modo, as suas rotinas.

    • 3- Respeita as diferenças

      Considera que genros e noras tiveram educações diferentes e, muitas vezes, terão atitudes inesperadas e até mesmo espantosas, mas respeita a maneira de ser e agir deles. Agindo dessa forma não aceita provocações e também inspira o respeito de todos.

    • 4- Conhece o seu papel na nova família

      Sabe que a atitude da sogra é a mesma da mãe de filhos adultos; orienta quando é chamada para isso, respeita as decisões tomadas e mantém o ombro disponível para quando necessário. Isso equivale dizer que não se intromete onde não é chamada e não impõe suas ideias.

    • 5- Não alimenta conflitos

      Entende como natural os conflitos entre os filhos e seus cônjuges e jamais colabora para que eles se expandam. Sendo procurada como conselheira é sempre o elemento pacificador e amigo, mantendo-se o mais imparcial possível. Não joga “lenha na fogueira” e mesmo não concordando com a atitude do cônjuge do filho ou filha busca sempre direcioná-los para o caminho da compreensão e do diálogo.

    • 6- Não critica

      Não tenta “abrir o olho” dos filhos evidenciando defeitos de seus cônjuges, nem mesmo com a intenção de ajudar. Jamais critica genros e noras ou fomenta a discórdia deles com os filhos.

    • 7- Tem vida própria

      Adora o convívio familiar, mas busca outros interesses para jamais cair no erro de querer viver a vida dos filhos. Desenvolve atividades de seu interesse e mantém a própria vida de forma próxima, mas totalmente independente da vida dos filhos. Isso vale inclusive e principalmente quando, por alguma razão, mora na mesma casa do filho ou filha.

      O que se pode concluir é que a boa sogra não entende o casamento dos filhos como perda, e sim como acréscimo familiar. Preocupa-se em cultivar autoestima e se sente segura em relação ao amor dos filhos; essa autoconfiança a afasta do ciúme e sentimento de posse. É assim que uma sogra se torna querida e respeitada no âmbito familiar.

Fonte

Pense melhor antes de se curvar para olhar a mensagem no celular

De acordo com um novo estudo publicado na Surgery Technology International, estima-se que as pessoas estejam adicionando 28 kg às suas colunas vertebrais toda vez que abaixam para olhar o celular.

19-spine-study

 

Realizado pelo cirurgião Kenneth Hansraj, a pesquisa de Nova York questiona fortemente a relação entre as pessoas e seus hábitos “telefônicos”. No estudo, Hansraj escreve: “A cabeça de um ser humano adulto pesa cerca de 5 kg em posição neutra. Quando ela cai para frente, o peso pode chegar até 28 kg – dependendo da sua posição”.

Essa terrível postura pode gerar estresse na coluna que, com o tempo, pode deteriorar os músculos do pescoço e das costas “até chegar a um ponto no qual a cirurgia se faz necessária”, conta o autor.

Fonte

Papa Francisco tem um recado mundial para as famílias

O Simpósio Humanum ocorrido e organizado pelo Vaticano, de 17 a 19 de novembro de 2014, reuniu cerca de 350 líderes religiosos de 14 diferentes religiões em 23 países para tratar do tema “A complementaridade do homem e da mulher”.

Papa-Francisco-primeira-missa

Na abertura do evento, o Papa Francisco ensinou 3 coisas que precisamos destacar:

1. Destruição das famílias diretamente proporcional ao aumento da pobreza

O Papa declarou: “Há evidências de que o declínio da cultura do casamento está associado ao aumento da pobreza e uma série de outros males sociais, afetando desproporcionalmente mulheres, crianças e idosos.”

Estudos comprovam que o aumento de crimes violentos é diretamente proporcional à falta de um pai no lar. A importância de uma família estável é essencial para o futuro das crianças e da sociedade como um todo.

2. Aumento de divórcios relacionado com o culto ao eu próprio

Ele disse: “Nós sabemos que o casamento hoje e a família estão em crise. Nós vivemos na cultura do temporário, onde mais e mais pessoas estão desistindo do casamento como um comprometimento público. Esta revolução em maneiras e moral tem levantado a bandeira da liberdade, mas na verdade tem trazido devastação espiritual e material a inúmeros seres humanos, especialmente aos mais pobres e vulneráveis”.

Muitos estudiosos têm atribuído o crescimento dos divórcios na sociedade a uma forma de pensar onde o “eu” é mais importante que o “nossa família”. As pessoas estão indo atrás de saciar seus próprios desejos, popularizando o egoísmo erroneamente como amor próprio, quebrando assim o comprometimento existente no casamento e nas relações familiares entre maridos e esposas, pais e filhos, irmãos e outras camadas da árvore familiar.

3. Coragem para defender o casamento como a complementaridade entre homem e mulher

O Papa ensinou: “Verdadeiros revolucionários procurarão pela verdade e pelo amor duradouro, porque a sociedade precisa que um homem e uma mulher unam-se a formar uma família. Eles precisam ir contra o senso comum de nossa cultura que enfatiza o temporário.”

Na sociedade de hoje, onde mais e mais pessoas estão deixando o casamento de lado, dedicar-se ao compromisso que o casamento envolve de felicidade, criação de filhos, crescimento humano em conjunto é altamente revolucionário. E defender esses princícipios é mais importante do que nunca e é necessário coragem e atitude para tal num mundo rumo à destruição das famílias em diversos níveis sociais.

A mensagem do Papa Franciso nesse simpósio trouxe à luz um fato real: Países de todos os níveis culturais e econômicos que lutam contra a pobreza, diminuição substancial de nascimentos, permissão massiva de abortos e aumento de crimes e desastres sociais, estão a cada dia mais vulneráveis devido à destruição em massa de casamentos e consequentemente, famílias.

Fonte

Pessoas com mais de 50 anos fundaram empresas de sucesso

KFC, IBM, Starbucks e Nestlé são algumas das empresas lançadas por pessoas com mais de 50 anos

Existe idade certa para transformar sua ideia em um negócio de sucesso ? Segundo infográfico organizado pelos designers norte-americanos Marcos e Anna Vital, nunca é tarde demais para lançar uma ideia inovadora e rentável. Ao contrário do que se pensa por aí, o estudo revela uma ampla diversidade etária entre as maiores empresas do mercado atual.

infografico_empresas

Embora nomes como Mark Zuckerberg (19 anos), Bill Gates(20 anos) e Steve Jobs (21 anos) tenham dado os primeiros passos rumo ao sucesso antes dos 25 anos, a idade média de acordo com o infográfico é de 35,39 anos.

Starbucks, Sopas Campbell e IBM – boas ideias depois dos 50

O que também não significa que não existam histórias de sucesso depois da média apresentada.Entre os destaques ‘pós-50 anos’, estão Gordon Bowker que fundou a rede Starkbucks aos 51, Joseph Campbell da Sopa Campbell com 52 e Charles Flint, que lançou a IBM quando tinha 61. Confira a idade de outras empresas que se tornaram um caso de sucesso no mundo dos negócios.

fonte

80 anos de casados: o segredo?

Helen e Maurice Kaye, um casal residente na Inglaterra celebrou 80 anos de casado no último dia 27 de Agosto. Eles se casaram em 1934 após esperarem por 4 anos que a irmã mais velha de Helen se casasse primeiro.

5032f89669

Eles se conheceram quando Helen tinha apenas 16 anos e trabalhava na loja da família com a mãe, e Maurice, um rapaz de apenas 17 anos, apareceu na loja para vender produtos.

Após o casamento, Maurice Kaye se tornou gerente da loja de seu pai e foram morar em Londres, quando ele serviu voluntariamente no Exército como preparador físico. Helen cuidava dos negócios na ausência do marido.

Eles tiveram 4 filhos e quando perguntados qual o segredo do casamento, eles disseram:

1. Não sejam tão duros um com o outro.

2. Se tiver que doar um pouco de si, doe mesmo assim.

Seu filho Larry de 66 anos acha que o segredo da longevidade dos pais é fazer metas e trabalhar até conseguir. E completa: “Eles queriam ver os filhos criados, depois os netos e agora querem ver os bisnetos crescerem”.

Mesmo centenários, eles ainda moram independentemente dos filhos e jogam cartas sempre que podem.

Fonte