Unesp oferece curso online e gratuito sobre História da Música

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) oferece um curso online a gratuito sobre História da Música.

3497849677_9798b22910_b_4

Apresentado em videoaulas no site da Univesp TV, o programa pode ser realizado a qualquer hora e em qualquer lugar. O aluno pode fazer anotações e perguntas enquanto assiste aos vídeos e recebe posteriormente tudo em sua caixa de e-mail.

As 11 videaulas fazem parte do curso de Bacharelado em Música e são ministradas pela docente Dorotéa Kerr, professora do Instituto de Artes da Unesp, doutora em Música/Órgão pela Universidade de Indiana (EUA) e mestre em Música/Órgão pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Conheça o conteúdo programático:

– Romantismo – A estética musical e os princípios da música romântica
– Nacionalismo – A incorporação de elementos nacionais às artes
– Ópera na primeira metade do século XIX – Os estilos e categorias das óperas
– Música Orquestral do século XIX – O conceito de sinfonia e a sua importância
– Música Programática – A música para expressar ideias não musicais
– Lied e Chanson – Música com história e folclore
– Ópera na Segunda Metade do Século XIX – As obras de Guiseppe Verdi e Richard Wagner
– Passagem para o século XX – Política e folclore na música
– Movimentos de Vanguarda no Século XX – Expressionismo e Impressionismo na música
– Música e Política – A influência política na música do século XX
– Dodecafonismo e Serialismo – A ruptura com o passado da música

Para começar a estudar agora, basta acessar este link.

Anúncios

Como a música ajuda a exercitar o cérebro

Novas pesquisas mostram que tocar um instrumento pode ser uma ótima forma de se exercitar o cérebro. Tocar um instrumento pode ser essencial para melhorar sua memória, suas noções de matemática e para lidar melhor com mais de uma tarefa ao mesmo tempo.

Para chegar a essas conclusões, cientistas monitoraram a atividade cerebral de pessoas que estavam escutando música e pessoas que tocavam instrumentos. E descobriram uma altíssima movimentação em diferentes áreas do cérebro no caso dos ouvintes. Já no daqueles que tocavam, perceberam uma atividade ainda maior, exercitando o cérebro praticamente por completo.

Segundo o vídeo, aprender a tocar um instrumento envolve uma série de interações das atividades cerebrais. Para um músico, é necessário que o lado esquerdo (supostamente ligado à matemática e às exatas) funcione em sintonia com o lado direito (relacionado à criatividade e às artes) do órgão. Isso pode ser considerado marcante, já que a conexão entre ambos os lados é defasada para quem não pratica música.

Estudos comprovam, aliás, que músicos acessam às suas memórias por meio de “palavras-chave”, como tags relacionadas a certas emoções. Isso possibilita que consigam resolver problemas de maneira mais efetiva e criativa.

Fonte

Música acalma, estimula a memória, alivia dores e ajuda no exercício físico

Ouvir música não é só um entretenimento e uma medida para acalmar e relaxar – ela pode trazer diversos benefícios para a saúde, como alívio de dores, melhora da memória e até mesmo um estímulo para a prática de atividade física.

Isso acontece porque a música ativa o centro de prazer do cérebro, assim como o sexo e o chocolate, por exemplo. Ela libera dopamina e causa uma sensação de bem-estar e, por isso, tem sido usada por médicos, terapeutas e preparados físicos como tratamento de diversos problemas – e tem trazido ótimos resultados.

beneficios-da-musica-para-a-saude

17 Benefícios de você aprender um Instrumento Musical

O filósofo chinês Confúcio disse há muito tempo, e me parece que realmente faz muito tempo, que “a música produz um tipo de prazer que a natureza humana não pode prescindir” .

A verdade é que tocar um instrumento musical tem muitos benefícios, se você é homem já deve estar pensando em “mulheres”, bem, não é este o caso, hoje vamos falar de outros valores. Este artigo irá fornecer-lhe 17 benefícios de tocar um instrumento (sem uma nenhuma ordem particular) e espero dar-lhe um sentido melhor de apreço e paixão pela música.

1. Aumenta a capacidade de sua memória

Uma pesquisa mostrou que tanto ouvir música, quanto tocar um instrumento musical, estimulam o seu cérebro e pode aumentar sua memória. Um estudo foi feito em 22 crianças da idade 3-4 anos que receberam ou aulas de canto ou aulas de teclado. Ao contrário, um outro grupo de 15 crianças não recebeu aulas de música. Ambos os grupos participaram das mesmas atividades pré-escolares. Os resultados mostraram que as crianças pré-escolares que receberam aulas de teclado semanais melhoraram suas habilidades de espaço-temporal de 34 por cento a mais do que as outras crianças. Não só isso, mas os pesquisadores disseram que ainda há efeitos a longo prazo. (http://brainconnection.positscience.com/topics/?main=fa/music-education2#A1)

2. Refina a sua gestão de tempo e habilidades organizacionais

Aprender a tocar um instrumento exige que você realmente aprenda a ser organizado e de gerir o seu tempo com sabedoria. Um bom músico sabe que a qualidade do tempo de prática é mais valiosa do que a quantidade. Para que um músico possa progredir mais rápido, ele deve aprender a organizar seu tempo de maneira prática e ainda definir metas, fazendo uso eficiente do tempo.

3. Desenvolver a competência de: Trabalho em Equipe

Saber trabalhar em equipe é um aspecto muito importante para ser bem sucedido na vida. Tocar um instrumento exige que você trabalhe com os outros para fazer música, ou mesmo aprender. Em bandas e orquestras você deve aprender a cooperar com as pessoas ao seu redor. Além disso, para que um grupo consiga executar uma música de maneira perfeita, cada músico deve aprender a ouvir o outro e tocar junto.

4. Ensina perseverança

Aprender a tocar um instrumento leva tempo e muito esforço, o que realmente lhe ensina paciência e perseverança. A maioria das pessoas não consegue tocar qualquer música perfeitamente de primeira. Na verdade, a maioria dos músicos tem que trabalhar nas partes mais difíceis de uma música durante muito tempo.

5. Melhora a sua coordenação

A arte de tocar um instrumento exige muita coordenação olhos-mãos-dedos-pulsos-movimentos-braços. Ao ler as notas musicais em uma página, o seu cérebro, subconscientemente deve converter essa nota em padrões motores específicos, dispondo também de respiração e ritmo.

6. Melhora sua habilidade matemática

Ler música requer notas, contagem, compasso e ritmo, o que pode ajudar suas habilidades matemáticas. Além disso, a teoria de aprendizagem musical inclui muitos aspectos matemáticos. Estudos

7. Melhora as suas habilidades de leitura e compreensão de textos

De acordo com um estudo publicado na revista Psychology of Music, “As crianças expostas a um programa de vários anos de ensino musical, envolvendo a formação mais complexa de habilidades rítmicas, tonal e práticas de instrumentos musicais, exibiram desempenho cognitivo superior em habilidades de leitura e compreensão de textos, em comparação com os “não treinados” musicalmente.”

Não é surpreendente ouvir resultados como esse porque a música envolve leitura e compreensão constantes. Quando você vê notas em preto e branco em uma página, você tem que reconhecer o que é o nome da nota e traduzi-lo para uma posição com os dedos. Ao mesmo tempo, você também tem de definir o ritmo.

 8. Aumenta sua responsabilidade

Tocar um instrumento também é uma responsabilidade. A manutenção e o cuidado são muito importantes para manter um instrumento em boas condições de funcionamento. Cada instrumento tem procedimentos diferentes para se manter funcionando, mas a maioria dos instrumentos precisam de limpeza e alguma forma de lubrificação. Além das responsabilidades de manutenção, existem outros aspectos como lembrar de eventos musicais (como ensaios e apresentações) e organizar o tempo para o estudo e prática.

9. O Expõe a história cultural

Boas Músicas muitas vezes refletem o ambiente e o tempo de sua criação. Por exemplo, músicas do movimento Tropicalista, de Caetano, Gilberto Gil… lembram bem os tempos de opressão do militarismo. E também você aprende uma variedade de tipos de música, com tradições, regionalismos, a música popular, medieval e outros gêneros. A música em si é história, e cada uma normalmente tem o seu próprio plano de fundo e um enredo.

10. Aguça a sua concentração

Reprodução de música por si mesmo requer que você se concentre em coisas ao mesmo tempo, como ritmo, altura, tom, melodia, duração da nota e qualidade de som. Reprodução de música em um grupo/banda envolve concentração ainda mais porque você não apenas deve ouvir a si mesmo, mas você tem que ouvir todas os outros instrumentos, e se esforçar para manter a harmonia.

11. Promove a sua auto-expressão e alivia o stress

É o seu instrumento, assim você pode tocar o que quiser nele! Quanto mais avançado você se tornar em um instrumento, mais músicas você poderá tocar. E a música, taoca por você mesmo, é uma forma de expressar sua emoção. Isto tem provado aliviar o stress e pode ser uma excelente forma de tratamento. Aliás, a musicoterapia tem sido útil no tratamento de crianças e adolescentes com autismo, depressão e outros distúrbios.

12. Cria um sentimento de conquista

Superar desafios musicais que você pensou que nunca conseguiria, pode dar-lhe um grande sentimento de orgulho sobre si mesmo. Quando você começa a aprender a tocar um instrumento, por exemplo, parece que apenas o fato de conseguir segurar uma nota com uma batida assertiva, ou conseguir tocar uma sequência pequena de acordes, é um feito incrível. E quando você pratica e se torna um músico mais experiente, sua música torna-se agradável não só a você mesmo, mas também as outras pessoas ao seu redor, o que é uma experiência gratificante.

13. Promove suas habilidades sociais

Tocar um instrumento pode ser uma ótima maneira de melhorar suas habilidades sociais. Algumas das melhores pessoas se juntam em bandas e orquestras, e muitas vezes os amigos que você faz pela música se tornam como uma família. É muito comum as pessoas para ganharem amizades para a vida toda por meio de atividades musicais.

14. Aumenta as suas habilidades de escutar

Embora seja bastante óbvio, tocar um instrumento exige que você ouça tudo com muita atenção. Você tem que aprender a ouvir quando você está tocando uma nota errada, a fim de corrigir a si mesmo. Ajustando o seu instrumento significa ouvir se o tom que você está tocando é alto (agudo) ou baixo. Quando tocar numa banda, você tem que ouvir a melodia e tocar mais suave se você é um instrumentista de suporte (acompanhamento). Há muitos exemplos para listar todas as possibilidades aqui, mas é só tocar um instrumento que está garantido a melhora nas suas habilidades de escuta.

15. Ensina disciplina

Como mencionado anteriormente, tocar um instrumento pode ser muito desafiador. Uma das qualidades que os músicos aprendem é a disciplina. Praticar muitas vezes e trabalhar nas partes duras da música e não apenas o material fácil e divertido, exige disciplina. Os melhores músicos do mundo são mestres da disciplina, e é por isso que eles são tão bem sucedidos em seu instrumento.

16. Eleva as habilidades de seu desempenho e reduz o medo do palco

Um dos objetivos da prática excessiva em seu instrumento é que o que você consegue tocar sozinho, consiga também realizar para os outros. Quanto mais você se levanta na frente das pessoas para tocar, mais você vai perde qualquer medo do palco. Tocando no palco em uma banda ou orquestra contribui com medo do palco, porque você não está sozinho.

17. Promove a felicidade em sua vida e aqueles ao seu redor

Tocar um instrumento musical pode ser muito divertido e emocionante. Não só é divertido para tocar a música que você gosta, mas é maravilhoso ouvir o público aplaudi-lo, após um grande desempenho. Ele também pode ser muito honroso e gratificante para tocar em sua comunidade, para os amigos, família e ver a felicidade no rosto das pessoas porque eles gostam de ver você tocar.

Conclusão

Como você pode ver tocar um instrumento musical tem muitos benefícios e espero que este humilde texto de um certo “start” e motive-o a começar em um instrumento musical, ou mesmo continuar praticando e sempre, para manter a música em alto nível. Sempre que você se deparar com desafios como músico, pense sempre que no final, os benefícios são incontáveis.

Fonte

Ensino de música melhora leitura e atenção de crianças

30/10/13

Segundo um estudo de mais de duas décadas da Northwestern University, dos Estados Unidos, ensinar música para crianças aumenta a capacidade de comunicação, atenção, memória, leitura e o desempenho acadêmico.

A neurocientista Nina Kraus, líder da pesquisa, acompanha grupos de crianças que fazem parte do Harmony Project, iniciativa sem fins lucrativos que oferece, gratuitamente, instrumentos e instrução para jovens que vivem em áreas de baixa renda, desde que prometam continuar na escola.

Segundo ela, alguns dos principais elementos da música, como o timbre, o tempo e o tom, foram fundamentais para que as crianças desenvolvessem, mais rápido que as outras, habilidades de leitura, interpretação de texto e comunicação. “Os alunos que estudam música têm muitos benefícios em relação ao desenvolvimento da linguagem, da fala e da memória de trabalho auditiva”, explica Kraus ao Porvir.

Memória de trabalho auditiva é o nome que se dá àquela que é responsável, por exemplo, pelo armazenamento e organização das últimas palavras lidas de um texto e, por consequência, sua interpretação. “Fazer música exercita essa memória. Para afinar um instrumento, por exemplo, é preciso lembrar o som da nota. Para improvisar, é preciso lembrar do tema e do ritmo. Para aprender uma música ‘de ouvido’ é preciso exercitar essa memória que lida com a sequência”, diz.

Ao contrário de outros estudos que buscam compreender as reações instantâneas da música no cérebro, a pesquisa de Kraus é focada no longo prazo, pois pretende analisar o impacto neurológico da escola e do aprendizado da música em espaços coletivos, para considerar justamente a relação entre a colaboração dos alunos e como isso pode enriquecer as funções cerebrais. Funções estas que foram monitoradas por meio de eletrodos e outras máquinas responsáveis por identificar o melhor processamento do som e da fala entre aqueles que estudam música. “É uma espécie de aprimoramento na decodificação do som, que vai melhorar a percepção, compreensão e imersão nesse som, que pode ser a própria explicação do professor”, explica a pesquisadora.

Matéria

O que todo pai de um músico deve saber

O que todo pai de um músico deve saber

Muitas crianças têm aulas de música nos dias de hoje, e não é de admirar. Aulas de música fornecem dezenas de benefícios comprovados. Um estudo de 10 anos na Universidade da Califórnia indica que os alunos que estudam música alcançam pontuações mais altas, apesar das diferenças de sua situação econômica. Alunos do ensino secundário que participaram na banda ou orquestra relataram as menores taxas de abuso de substâncias. Além disso, aqui está uma boa notícia: Departamentos admitem ver a participação na música como um fator importante na tomada de decisões em relação à admissão.

Isso é apenas o começo. As aulas de música ensinam que o trabalho duro traz recompensas. Aprender a fazer algo bem é a chave para uma autoestima saudável. A capacidade de buscar a excelência em uma habilidade, ao invés de se contentar com o mínimo, irá beneficiar uma pessoa de muitas maneiras. Desenvolver o amor pela música empresta requinte à vida e vai melhorar e aprofundar a experiência de vida para toda a existência de uma pessoa.

A pesquisa também mostra que crianças que estudam música se saem melhor em matemática. Enquanto os dois tópicos podem parecer muito diferentes, o estudo da música aparece para ordenar a mente, ajudar na concentração e compreender conceitos complexos. Apenas ouvir música clássica já fornece alguns desses benefícios.

A fim de proporcionar isso, os pais estão inscrevendo seus filhos nas aulas de música em massa. Além de pagar a taxa de matrícula, o que mais os pais podem fazer para obter o máximo de aulas de música? Aqui estão algumas coisas que todos os pais devem saber:

Saiba quando começar. Embora as crianças possam começar a ter aulas de música em uma idade extraordinariamente jovem, a atenção de cada criança é diferente. Espere para começar as lições de músicas quando a criança puder se concentrar em uma única tarefa por pelo menos quinze minutos. Tenha em mente que as crianças podem facilmente realizar tarefas quando divididas em segmentos, começando com 15 minutos e aumentando gradativamente.

Seja encorajador. Ajude seu filho a entender que, enquanto eles estão geralmente animados para começar, em breve a novidade vai se desgastando e se tornará um trabalho. Isso não é uma coisa ruim! Ajude-os a perceber que qualquer habilidade significativa exige dedicação e esforço, quer se trate de basquete, balé, ou piano.

Tenha expectativas claras. As crianças devem saber que se inscrever para aulas de música exige um compromisso com a prática. Comprometa-se a pagar as mensalidades e, em troca, eles se comprometem a praticar. Mesmo as sessões curtas são eficazes e consistentes. Sessões de treino curtos são melhores para as crianças.

Ajude o seu filho a perceber que nem tudo que vale a pena é emocionante a cada momento. Todas as coisas exigem esforço, haverá momentos em que irá parecer difícil, chato, ou não tão divertido quanto sair com os amigos. Se perseverar, a sua proficiência no instrumento vai aumentar até o ponto onde a criação de música tornar-se-á uma alegria em sua vida.

Pergunte a qualquer professor de música e eles vão dizer que um número incontável de pessoas abandonam as aulas nos momentos difíceis, antes deles chegarem ao ponto em que tocar se torna mais agradável. Aí costumam se arrepender. Sabendo que a parte difícil está para vir, você pode se preparar melhor para ajudá-lo. Aqui estão algumas ideias:

Tenha músicas “divertidas” disponíveis para as crianças brincarem enquanto a prática regular é feita.
Deixe as crianças manterem o controle de seu próprio tempo praticando com um cronômetro e calendário. Menos irritante = pais mais felizes = crianças mais felizes.
Forneça uma porção de encorajamento e elogios. Talvez possa haver um tratamento especial quando uma meta é praticada completamente, ou certo nível é alcançado. Fale sobre o quanto eles melhoraram em comparação ao tempo em que eles começaram. Vendo e comentando o progresso sempre ajuda a motivação.
Seja o maior fã de seus filhos quando eles realizarem uma apresentação por mais simples que seja.
Todo esse trabalho árduo, tanto da parte dos pais quanto da parte da criança, pode resultar em uma vida de prazer.

Traduzido e adaptado por Jaguaraci N. Santos do original What every musician’s parent should know, de Margot Hovley.

Submetido em Atividades para Crianças por  em 19 junho 2013

Fonte

 

Música pode ser mais eficaz do que remédios, diz estudo

Exame, Neurociência | 03/04/2013 15:06; Vanessa Daraya, de 

A pesquisa aponta que certas músicas podem elevar a produção de imunoglobulina A e de glóbulos brancos, responsáveis por atacar invasores

525328_10151414100033953_513484842_n

São Paulo – A música tem efeitos neuroquímicos que podem melhorar o sistema imunológico, reduzir a ansiedade e até mesmo regular o humor. A descoberta é de uma dupla de psicólogos da Universidade de McGill, no Canadá.

A pesquisa aponta que certas músicas podem elevar a produção de imunoglobulina A (um tipo de anticorpo) e de glóbulos brancos, responsáveis por atacar invasores como bactérias e germes.

Os cientistas Mona Lisa Chanda e Daniel Levitin descobriram que ouvir ou até mesmo tocar música pode reduzir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, e elevar os níveis de oxitocina, relacionado ao bem-estar. Isso melhora o humor e facilita as interações sociais. Músicas mais lentas com melodias suaves tendem a ser mais relaxantes do que cações com ritmo mais rápido.

Para chegar a essa conclusão, Chanda e Levitin analisaram mais de 400 pesquisas que associam a música com processos neuroquímicos específicos. Vários estudos indicam que a música pode até mesmo controlar a dor.

A dupla canadense propõe que médicos e terapeutas comecem a levar a música mais a sério. Chanda e Levitin esperam que a música possa ser usada como calmante antes da cirurgia. A pesquisa dos canadenses destaca que tratamentos baseados em música não são invasivos e têm efeitos colaterais mínimos. Além disso, são baratos e “naturais”

Fonte: