Conheça Ivan Tadeu Filho, o maior vencedor de Olimpíadas do Brasil

Ivan Tadeu Filho é o maior ganhador de medalhas em Olimpíadas de conhecimento do Brasil em várias áreas, como Física, Química, Astronomia, Biologia, Informática e Linguística, e os números surpreendem e muito!

imagem-13

Veja só:

Regionais-5 ouros, 0 prata,0 bronze,0 MH

Estaduais- 5 ouros, 3 pratas,1 bronze, 0 MH

Nacionais- 10 ouros, 7 pratas, 3 bronzes, 4 MH

Iberoamericanas- 1 ouro,1 prata,0 bronze, 0 MH

Internacionais- 2 ouros, 3prata, 3bronze, 0 MH

Obs.: MH = Menção Honrosa

Todas as medalhas foram ganhas dos 11 aos 18 anos. Dentre elas, duas foram inéditas no Brasil. Ivan tornou-se o atual recordista em olimpíadas de conhecimento do país.

Em 2012, ele começou a fazer provas, mandar currículo para universidades americanas, fazer inúmeras redações para ser aprovado em alguma Universidade. E conseguiu. Foi aprovado em Harvard, MIT, Yale, Princeton, convidado para outras faculdades dos EUA, Finlândia, França. Tentou uma bolsa pelo CNPQ, mas foi negada. Ele pediu auxílio para todas as instâncias do governo em âmbito regional, estadual, federal. O Governo não quis ajudar. Ele se propunha a voltar ao Brasil e auxiliar no desenvolvimento científico do país, mas mesmo assim qualquer ajuda lhe foi negada. Ainda assim, embarcou para os EUA com a (rara) chance de conseguir uma bolsa lá, ou até mesmo de uma instituição privada.

Aquele jovem que estendeu a bandeira do Brasil e trouxe medalhas EXTREMAMENTE importantes para o país, não teve apoio do mesmo. Este jovem, que representa o futuro de uma nação, tenta seguir seu caminho sem ajuda de sua pátria amada. Na tentativa de ajudar novos vitoriosos como ele, Ivan criou um blog para auxiliar estudantes com dicas de estudos, livros, estratégias…. (olimpiadascientificas). Foi criada uma página no Facebook (facebook) para poder ajudar, de alguma, o jovem Ivan a encontrar alguma empresa para investir em seu futuro, já que o governo brasileiro prefere a Copa do Mundo…

1606918_646962975359805_1880846096_n

Anúncios

Jovens brasileiros treinam inglês com idosos americanos

Cheia de jovens estudantes que gostariam de praticar inglês, uma escola de idiomas brasileira teve uma ideia socialmente responsável e criativa.

size_590_Acao_estudantes_CNA_idosos

O curso CNA criou um projeto que conecta crianças e adolescentes a idosos moradores de asilos em Chicago, nos Estados Unidos. Batizada de Speaking Exchange, a campanha da rede acabou tornando-se cenário para a troca de histórias de vida, cultura e ideias entre os dois lados.

Fonte

Os benefícios de aprender inglês

Líderes com inglês fluente recebem salário 25% maior, mas apenas 47% dos profissionais dominam o idioma

Que falar inglês faz a diferença no currículo de um profissional, já se sabe. A novidade é que a língua estrangeira proporciona aumento no rendimento mensal dos profissionais em até 25% em relação aos que não possuem fluência, de acordo com pesquisa do Grupo Catho com 166 mil profissionais que ocupavam cargos idênticos.

 

“Dominar inglês é essencial para quem aspira a um cargo mais alto dentro da empresa, especialmente o de liderança. Hoje, este requisito não é mais um diferencial, é fundamental em organizações de todos os portes”, afirma Margarete Lupi, gerente de Recursos Humanos de uma escola de idiomas. “Quem não está dentro deste perfil, dificilmente será escolhido para a ascensão profissional”, alerta.

De acordo com o mesmo estudo, muitas pessoas estão fora do perfil solicitado pelas companhias, pois apenas 47% dos profissionais brasileiros falam inglês. Especialistas afirmam que em poucos anos, a falta de conhecimento no segundo idioma será vista como é o analfabetismo, isto é, tendo pouca ou nenhuma competitividade no mercado de trabalho. “O mesmo vale para quem está em busca de uma oportunidade de emprego, pois, em muitos casos, os profissionais que não possuem o inglês, perdem a oportunidade de participar de diversos processos seletivos”, diz Margarete.

Mas por que então muitos profissionais ainda não falam inglês? De acordo com a pesquisa de comportamento e mercado da Alumni, os principais motivos alegados são disponibilidade limitada de horários e de tempo para dedicar ao aprendizado. Em seguida estão o investimento necessário e os resultados que desejam obter em curto prazo com foco em situações vividas no dia a dia do trabalho.

“Além dessas questões, algumas pessoas têm como obstáculos a falta de automotivação para iniciar um curso e a dedicação necessária para concluí-loAlgumas vezes há um bloqueio pessoal durante o aprendizado, de modo com que pensem que não precisam ou então não conseguem aprender, que os fazem desistir do seu objetivo”, observa Margarete Lupi.

Segundo ela, em todos os casos, a motivação, seja ela pessoal, profissional ou financeira, é o primeiro passo para adquirir fluência no idioma. No entanto, tão importante quanto ter um objetivo claro, é a escolha da instituição mais adequada de acordo com seus objetivos. “Não adianta escolher apenas pelo valor mensal, é preciso colocar na balança também o tempo necessário para atingir a fluência desejada, assim com a qualidade do corpo docente e o histórico da instituição. Caso contrário, o investimento pode ser sinônimo de desperdício de tempo e dinheiro”.

Fonte

10 benefícios psicológicos de aprender um novo idioma

Vários estudos comprovam que um segundo idioma pode beneficiar seu cérebro de diversas maneiras. Confira algumas delas:

1. Crescimento do cérebro

Como resultado de uma aprendizagem bem-sucedida os centros de língua do cérebro costumam crescer, de acordo com pesquisa publicada em 2012. Por isso, quanto mais você aprende mais as áreas vitais do seu cérebro se desenvolvem.

2. Afastamento de demência

De acordo com um estudo conduzido em 2012, o bilinguismo atrasa a doença de Alzheimer em até cinco anos nas pessoas mais suscetíveis.

3. Desenvolvimento de habilidades de escuta

Ser bilíngue pode levar a melhores habilidades de escuta, já que o cérebro precisa trabalhar mais para distinguir diferentes tipos de sons em duas ou mais línguas. Pelo menos é o que mostra um estudo realizado durante o ano de 2012.

4. Desenvolvimento de sensibilidade à linguagem

Crianças de famílias bilíngues podem distinguir idiomas de que nunca ouviram falar antes, segundo estudo publicado no ano de 2011. Dessa maneira, a exposição a diferentes sons, como o catalão e o espanhol, ajuda a perceber a diferença entre outros idiomas, como inglês e francês.

 

5. Aumento na memória

Estudo publicado no início de 2013 mostra que bebês criados em ambiente bilíngue têm memória de trabalho mais forte do que a das crianças familiarizadas com apenas um idioma. Isso representa melhor desempenho em cálculo mental, leitura e outras habilidades.

6. Aumento na capacidade multitarefas

Pessoas que falam duas línguas podem mudar de uma tarefa para outra com mais facilidade, como mostra estudo publicado em 2013. Elas tendem a apresentar mais flexibilidade cognitiva e acreditarem que é mais fácil se adaptar a circunstâncias inesperadas.

7. Aumento na capacidade de atenção

Pessoas bilíngues apresentam maior controle sobre sua atenção, além de serem mais capazes de eliminar distrações, segundo estudo de 2010.

 8. Capacidade de duplicação ativada

O aumento das funções cognitivas, como aumento de atenção e capacidade de multitarefas, se apresenta em pessoas bilíngues por conta da capacidade de manter duas línguas ativadas ao mesmo tempo, além da monitoração contínua de qual delas é mais adequada para o momento. Segundo estudo de 1999, a mudança confere benefícios mentais.

9. Desenvolvimento de múltiplos pontos de vista

Aprender uma nova língua pode mudar literalmente a maneira como você vê o mundo. Um estudo publicado em 2010 mostra que aprendendo Japonês, que possui termos básicos para azul claro e azul escuro, por exemplo, você pode passar a perceber as cores de uma maneira diferente.

10. Desenvolvimento da sua primeira língua

Uma vez que a aprendizagem de uma segunda língua aumenta sua atenção para regras abstratas e estrutura da língua, isso pode melhorar a sua língua mãe.

Fonte

 

Domínio de outro idioma aumenta salário em até 51,89%

Trata da importâcia do conhecimento de idiomas para o sucesso profissional fundamentada em diferentes pesquisas de campo

Wagner Siqueira, 14 de abril de 2013

Estudo recém apresentado pela consultoria Catho mostra que o domínio de um idioma estrangeiro pode aumentar o salário em até 51,89%. A pesquisa analisou 2.444 cargos em 19 mil empresas de todo o Brasil, comparando diferentes níveis hierárquicos e graus de fluência na língua inglesa e espanhola.

Outra pesquisa, realizada pelo Sistema CFA/CRAs em novembro de 2011, revela que apenas 47,20% dos Administradores brasileiros dominam algum idioma. O levantamento ouviu 17.982 profissionais em todo o Brasil.

No estado do Rio de Janeiro 44,28% dos profissionais de administração pesquisados não dominam qualquer idioma estrangeiro. Situação preocupante, sobretudo quando consideramos a proximidade dos grandes eventos internacionais como a Jornada Mundial da Juventude, a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 que demandam significativo contingente de pessoal para as áreas da administração.

Dados alentadores surgem ao verificarmos, na pesquisa realizada no âmbito do CRA-RJ, que dentre os Administradores fluminenses formados nos anos de 2006 a 2011 essa fluência em línguas estrangeiras salta para 67,31%; contra 26,68% dos formados de 2000 a 2005 e 14,82% dos concluintes entre 1990 e 1999.

Não resta dúvida de que o investimento em cursos de línguas é uma ótima oportunidade para ampliar a empregabilidade e também para auferir ganhos salariais em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Aliás, muitas entrevistas de seleção começam o “papo” no idioma estrangeiro desejado pela empresa contratante.

Ah sim, uma última advertência, o português não pode ser deixado de lado! Os brasileiros também devem ser proficientes em sua língua materna.

Fonte 

Grandes eventos criam vagas para profissionais com língua estrangeira. Confira oportunidades

Setor que mais deve empregar é o de serviços como, hotelaria, transporte e restaurantes

Do R7, com Hoje em Dia

O Brasil será a sede de diversos eventos internacionais como Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas. Para conseguir se dar bem nesta época, o trabalhador do setor de serviços terá que aprender a falar outras línguas, principalmente o inglês, para poder se comunicar com os clientes.

Para as novas vagas que estão abrindo no setor serviços, como hoteleiro, gastronômico e de vendas, terão vantagem o candidato que estiver melhor preparado, e com um curso de idiomas no currículo.

Segundo levantamento feito pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), no estado de São Paulo, 500 novas oportunidades de negócios serão gerados, impulsionados pelos eventos esportivos, o equivalente a metade todas as oportunidades brasileiras. 
Em alguns Estados-sede como o Recife, os taxistas estão fazendo cursos de inglês online. No Paraná, o programa “Taxista Nota Dez” deve treinar 400 motoristas, até maio de 2014, preparando-os para receber mais 160 mil turistas estrangeiros.

Na capital da Bahia, salvador, um programa de qualificação está ensinando os trabalhadores que lidam diretamente com os turistas a explicar, em inglês, os produtos que estão vendendo.

Mas há ainda quem confie no velho “jeitinho brasileiro” para conseguir fazer negócio e lucrar com os gringos.

Fonte