Empreendedor de 86 anos cria jogo para estimular o aprendizado da tabuada

Nunca é tarde para empreender. E o marceneiro aposentado Hermenegildo Garcia, 86 anos, prova isso na prática, diariamente. Há três anos, ele criou um jogo para facilitar o aprendizado da tabuada entre crianças, chamado de O X da Questão.

garcia

Garcia começou a projetar o jogo nos fundos de casa, para ocupar a cabeça. No local, ainda estão as primeiras edições do jogo, espalhadas em mesas. O X da Questão é composto por peças, um tabuleiro e fichas para calcular e preencher pontos. Os primeiros jogos eram feitos manualmente e levavam um dia para ficar prontos.

Ao abrir a peça, a criança vê a operação de multiplicação, enquanto seus amigos memorizam o resultado da conta (Foto: Marina Salles)

Pensada para interagir com o público infantil em smartphones, tablets ou computadores, a Decoreba tem a função de estimular o aprendizado a partir de algumas reações. Quando a criança acerta a resposta da operação matemática, ela fica brava; quando erra, a Decoreba ganha pontos.

Fábio se mudou para uma república de estudantes em Belo Horizonte para acelerar a empresa criada pelo pai (Foto: Marina Salles)

Garcia está feliz com o progresso de sua ideia e quer priorizar o acesso ao jogo, incentivando o aprendizado da matemática. “Trabalhamos com a oferta ‘compre um, doe um’, para aumentar o alcance da iniciativa e permitir que os jogos cheguem a comunidades carentes”.

Além dessa proposta, a startup envia com os jogos um tutorial de como realizar o Dia da Tabuada. Fábio diz que a ideia é que os jogos não fiquem guardados “juntando pó nas escolas”. Com essa mobilização, é possível chamar a atenção das crianças paraO X da Questão e realizar dinâmicas que integrem alunos e professores. O jogo já tem uma versão em braile e os empreendedores esperam que o uso do aplicativo com sons facilite a interação das crianças cegas com os colegas.

Neto de espanhóis, Garcia nasceu em um sítio em Mogi das Cruzes (SP) e cursou o ensino fundamental até a quarta série. Na escola, ele diz que não foi fácil aprender a tabuada. “Se errasse, a professora mandava copiar mil vezes.” Criar os jogos foi a forma que o empreendedor encontrou de se manter ativo e lutar contra os obstáculos da vida – ele sofreu um acidente doméstico e perdeu a visão de um dos olhos, teve câncer de próstata e mantém sob controle problemas de coração, mas não perde o bom humor. “Arrumei uma coisa para me ocupar, porque acho que a pessoa não deve parar nunca. O jogo tem sido meu passatempo.” Casado três vezes, ele tem oito netos, com quem divide os prazeres de testar cada nova ideia para o jogo. “Isso quando eles não tem preguiça”, brinca.

Fonte

Anúncios

Brasil conquista medalhas de ouro e prata em competição internacional de matemática

brasileiros

Quatro estudantes brasileiros, selecionados pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), conquistaram 3 medalhas de ouro e 1 de prata na 6ª Competição Ibero-americana Interuniversitária de Matemática (CIIM), que se encerrou hoje (8/10) na cidade de San José, na Costa Rica.

Davi Lopes Alves de Medeiros, de Fortaleza (CE), terminou a competição com a primeira colocação na classificação individual, conquistando o ouro com um total de 39 pontos (de no máximo 60). André Macieira Braga Costa, de Belo Horizonte (MG) e Henrique Gasparini Fiúza do Nascimento, de Brasília (DF), também conquistaram medalhas de ouro com 32 pontos cada um, enquanto Rafael Kazuhiro Miyazaki, de São Paulo (SP), garantiu a medalha de prata com 31 pontos. A UFMG e o Instituto Militar de Engenharia (IME), também enviaram representantes.

A competição contou este ano com a participação de 53 estudantes, agrupados em equipes de até quatro competidores, provenientes do Brasil, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, México e Equador. O professor Emanuel Carneiro do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) participou como líder do grupo.

A competição

Criada em 2009, é realizada anualmente com o apoio de Sociedades de Matemática, universidades e centros de pesquisa, além de um importante grupo de professores e estudantes. O evento tem como objetivos incentivar o estudo da matemática e a excelência acadêmica na comunidade universitária ibero-americana, melhorando a capacidade científica através da motivação e competitividade internacional, contribuindo assim com o desenvolvimento social, cultural e econômico dos países participantes.

A participação brasileira na competição é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), programa que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em Matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas escolas e universidades públicas e privadas de todo o Brasil.

Fonte

Como a música ajuda a exercitar o cérebro

Novas pesquisas mostram que tocar um instrumento pode ser uma ótima forma de se exercitar o cérebro. Tocar um instrumento pode ser essencial para melhorar sua memória, suas noções de matemática e para lidar melhor com mais de uma tarefa ao mesmo tempo.

Para chegar a essas conclusões, cientistas monitoraram a atividade cerebral de pessoas que estavam escutando música e pessoas que tocavam instrumentos. E descobriram uma altíssima movimentação em diferentes áreas do cérebro no caso dos ouvintes. Já no daqueles que tocavam, perceberam uma atividade ainda maior, exercitando o cérebro praticamente por completo.

Segundo o vídeo, aprender a tocar um instrumento envolve uma série de interações das atividades cerebrais. Para um músico, é necessário que o lado esquerdo (supostamente ligado à matemática e às exatas) funcione em sintonia com o lado direito (relacionado à criatividade e às artes) do órgão. Isso pode ser considerado marcante, já que a conexão entre ambos os lados é defasada para quem não pratica música.

Estudos comprovam, aliás, que músicos acessam às suas memórias por meio de “palavras-chave”, como tags relacionadas a certas emoções. Isso possibilita que consigam resolver problemas de maneira mais efetiva e criativa.

Fonte

Conheça Ivan Tadeu Filho, o maior vencedor de Olimpíadas do Brasil

Ivan Tadeu Filho é o maior ganhador de medalhas em Olimpíadas de conhecimento do Brasil em várias áreas, como Física, Química, Astronomia, Biologia, Informática e Linguística, e os números surpreendem e muito!

imagem-13

Veja só:

Regionais-5 ouros, 0 prata,0 bronze,0 MH

Estaduais- 5 ouros, 3 pratas,1 bronze, 0 MH

Nacionais- 10 ouros, 7 pratas, 3 bronzes, 4 MH

Iberoamericanas- 1 ouro,1 prata,0 bronze, 0 MH

Internacionais- 2 ouros, 3prata, 3bronze, 0 MH

Obs.: MH = Menção Honrosa

Todas as medalhas foram ganhas dos 11 aos 18 anos. Dentre elas, duas foram inéditas no Brasil. Ivan tornou-se o atual recordista em olimpíadas de conhecimento do país.

Em 2012, ele começou a fazer provas, mandar currículo para universidades americanas, fazer inúmeras redações para ser aprovado em alguma Universidade. E conseguiu. Foi aprovado em Harvard, MIT, Yale, Princeton, convidado para outras faculdades dos EUA, Finlândia, França. Tentou uma bolsa pelo CNPQ, mas foi negada. Ele pediu auxílio para todas as instâncias do governo em âmbito regional, estadual, federal. O Governo não quis ajudar. Ele se propunha a voltar ao Brasil e auxiliar no desenvolvimento científico do país, mas mesmo assim qualquer ajuda lhe foi negada. Ainda assim, embarcou para os EUA com a (rara) chance de conseguir uma bolsa lá, ou até mesmo de uma instituição privada.

Aquele jovem que estendeu a bandeira do Brasil e trouxe medalhas EXTREMAMENTE importantes para o país, não teve apoio do mesmo. Este jovem, que representa o futuro de uma nação, tenta seguir seu caminho sem ajuda de sua pátria amada. Na tentativa de ajudar novos vitoriosos como ele, Ivan criou um blog para auxiliar estudantes com dicas de estudos, livros, estratégias…. (olimpiadascientificas). Foi criada uma página no Facebook (facebook) para poder ajudar, de alguma, o jovem Ivan a encontrar alguma empresa para investir em seu futuro, já que o governo brasileiro prefere a Copa do Mundo…

1606918_646962975359805_1880846096_n

Papa pede que a Igreja se livre da ‘ameaça do materialismo’

1378398_746298085385256_1486557206_n

“Há um perigo que ameaça qualquer um na Igreja, todos nós. O perigo do materialismo. Nos leva à vaidade, à arrogância e ao orgulho” e servir humildemente os membros mais pobres da sociedade, disse o papa Francisco, no último dia 4 de outubro. O apelo do papa foi feito na cidade de Assis, no centro da Itália, onde seu homônimo São Francisco viveu no século 12.

Francisco levou um novo estilo de abertura, consulta e simplicidade ao Vaticano. Poucos dias depois de sua eleição, ele disse que queria ver “uma Igreja que é pobre e para os pobres”. Ele evitou os espaçosos apartamentos papais em troca de alojamentos espartanos na hospedaria do Vaticano, e pediu a todos os membros do clero, independentemente do cargo, que rejeitassem o conforto e saíssem entre os pobres e os necessitados.

Francisco disse que todos os membros da Igreja, incluindo bispos, cardeais e o próprio papa, têm que evitar as armadilhas de dar importância a coisas mundanas e ser mais humildes. “O materialismo nos traz vaidade, arrogância, orgulho e esses são ídolos… Todos nós precisamos nos livrar desse materialismo”, disse.

Francisco, o primeiro papa não europeu em 1.300 anos e o primeiro da América Latina, formou três comitês para assessorá-lo na missão de tornar o Vaticano mais transparente, principalmente com relação a suas transações financeiras.

Ele também disse que conventos e monastérios católicos vazios deveriam ser abertos para abrigar imigrantes e refugiados.

O papa condenou um mundo “que não se importa com tantas pessoas que têm que fugir da pobreza e da fome, fugir em busca de liberdade e muitas vezes encontrar a morte, como aconteceu ontem em Lampedusa”. Francisco se referia ao recente naufrágio de um barco imigrante na ilha de Lampedusa, ao sul da Itália,  no qual mais de 300 pessoas podem ter morrido. “Hoje é um dia para lamentar”, disse Francisco sobre a tragédia.

Fonte