Qual é a melhor opção para o consumo: água da torneira, filtrada ou mineral?

Qual é a melhor opção para o consumo: água da torneira, filtrada ou mineral? As perguntas a seguir esclarecem as dúvidas mais comuns sobre o assunto, e você ainda encontra sugestões de filtros e purificadores

Tratada e filtrada

Posso beber água da torneira?

Sim, se a caixa-d’água de sua casa for limpa a cada seis meses e a empresa de abastecimento de sua cidade obedecer a legislação. “A portaria 518/04 do Ministério da Saúde estabelece os limites máximos de microorganismos e os padrões para o controle de qualidade”, afirma o engenheiro Pedro Mancuso, do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Em que situações devo filtrar a água?

Se você não gosta do sabor de cloro da água tratada ou não faz a manutenção da caixa, precisa usar um filtro. “Ele elimina o gosto de cloro, as impurezas e os microorganismos que estavam no reservatório”, diz Ivana Wuo Pereira, gerente do departamento de Controle de Qualidade da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Que tipos de filtro há no mercado?

Os mais tradicionais são os filtros de gravidade, como os de barro. Neles, a água passa por uma vela de diatomita (um tipo de mineral), que pode conter carvão ativado e nitrato de prata. “A diatomita e o carvão tiram o gosto de cloro e a sujeira, e o nitrato impede a proliferação de bactérias”, diz Valéria Rodrigues Gaba, da Casa dos Filtros. Ligados ao ponto de água, os modelos de pressão podem ter uma vela simples ou uma simples combinada a outra de carvão ativado, celulose ou polipropileno.

O que são purificadores de água?

Numa explicação simples, purificadores são filtros com mais camadas de filtragem e dotados de recursos para eliminar as substâncias químicas que a água tratada recebe. Existem modelos com câmaras de carvão ativado, dolomita, quartzo ou polipropileno. Outros produtos trazem membrana de fibra oca e lâmpada ultravioleta. “A primeira barra as bactérias e a segunda mata esses microorganismos”, afirma Gleisse Miguel Stucchi, diretora comercial da Europa. Existe ainda o purificador por osmose reversa, que só libera as moléculas de água e retém todo o resto.

Como cuidar de filtros e purificadores?

“Lave as velas ou faça a retrolavagem (processo automático de limpeza dos purificadores) a cada semana e troque os elementos filtrantes conforme recomenda o fabricante”, diz Ivana Wuo Pereira. As partes substituíveis duram de seis a 12 meses.

Mineral

O que é água mineral?

Diferentemente da água fornecida pelas companhias de abastecimento, a mineral é captada por meio da perfuração do subsolo e não recebe tratamento. Portanto, é 100% natural. Dependendo do local de onde é retirada, apresenta maior ou menor concentração de determinados sais minerais, como zinco, selênio, magnésio, cálcio e potássio. Para ser extraída e comercializada, precisa atender às normas do Código de Águas Minerais, do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), do Ministério de Minas e Energia, que estabelece a quantidade mínima e máxima de substâncias minerais que ela pode conter.

A água mineral é melhor do que a tratada?

Ambas são boas para o consumo. “A água fornecida pelas companhias de saneamento também é de excelente qualidade. O que incomoda é o gosto de cloro, inexistente na mineral”, diz Carlos Alberto Lancia, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam).

Como saber a procedência?

A empresa precisa ter um registro no Ministério da Saúde e o número de concessão de lavra pelo DNPM – ambos estão impressos no rótulo, bem como a composição química da água. Nos sites desses órgãos governamentais, você pode checar se a empresa está legalmente no mercado. Outra alternativa é consultar a Abinam (www.abinam.com.br) e verificar se o fornecedor é filiado à entidade.

O que observar na compra de garrafões?

Se você usa o sistema disque-água para comprar garrafões retornáveis, recuse embalagens sem rótulo, envelhecidas e com a tampa vazando. “Procure o prazo de validade do recipiente. Caso tenha mais de quatro anos, deve ser descartado”, diz Carlos Alberto Lancia. Quem reabastece o garrafão em fontanários precisa lavá-lo em casa: encha de água, adicione duas colheres de sopa de bicarbonato de sódio, aguarde 40 minutos, jogue fora a mistura e enxágüe. Lave também o bebedouro que sustenta o garrafão.

Como limpar a caixa-d’água

O serviço é trabalhoso, mas vale a pena. Faça a limpeza a cada seis meses assim:

1. Feche o registro da entrada da casa ou amarre a bóia da caixa-d’água.

2. Guarde a água da caixa em baldes para usá-la na lavagem. Deixe apenas um palmo no fundo e tampe o ralo com um pano.

3. Esfregue o interior da caixa com um pano úmido ou uma escova (nas caixas de fibrocimento). Não use detergentes ou outros produtos químicos.

4. Com o auxílio de baldes, panos e uma pá, remova a água e as impurezas até a caixa ficar vazia. Seque com panos.

5. Encha a caixa até um palmo e adicione água sanitária (2 litros para cada 1 000 litros de água). Molhe as paredes com uma caneca e espere a solução agir por duas horas.

6. Destampe o ralo e deixe a água escoar. Abra todas as torneiras e chuveiros e dê a descarga. Se ainda restar água na caixa, utilize-a para lavar pisos.

7. Com a caixa vazia, ligue o registro ou libere a bóia. Cubra com a tampa também lavada e anote a data da limpeza.

Fonte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s