Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO #1

Confira nesta série as dicas da nutricionista Claudia Ruiz Santana, responsável pela Oficina de Nutrição da Lareira Instituição. Você também pode participar desta e de outras oficinas, gratuitamente! Acesse o site da Lareira e informe-se! 

Esta é a 1ª parte da série de seis artigos sobre o tema.

A educação alimentar é uma das principais ferramentas para entrar em forma, e a mudança de hábito começa dentro de casa.

horario para comerTemos aqui  erros bastante comuns na alimentação do brasileiro, com orientações simples de como evitar estes hábitos. E é nas pequenas mudanças que o excesso de peso e as doenças ligadas a ele vão diminuindo.

Não tomar café da manhã -Algumas pessoas não têm tempo para tomar o café da manhã, outras, simplesmente não têm fome. Depois de um jejum de, no mínimo, seis horas, o corpo precisa de energia para seguir suas atividades. A primeira refeição do dia é essencial. Damos energia para que o corpo possa funcionar e evitamos quadros de hipoglicemia e mal estar.

Tomar muito café ao longo do dia -Um cafezinho fresco é algo irresistível para boa parte dos brasileiros; ele quebra a rotina e representa uma pausa agradável entre as tarefes do dia. O café é bom para o coração, é energético, porém, tem cafeína, que em excesso pode fazer mal para o organismo, principalmente para quem tem histórico de pressão alta. 4 xícaras pequenas por dia é a dose recomendada.

Cortar o carboidrato radicalmente da alimentação -Essa é uma técnica que algumas pessoas usam para emagrecer. A primeira resposta do corpo é mesmo o emagrecimento. Mas depois de certo tempo, a falta de carboidrato pode causar uma fadiga grande, a pessoa vai ficar sem energia, apática, cansada, queda de cabelo, enfraquecimento das unhas e mau humor. O ideal é incluir carboidrato em todas as refeições, de maneira equilibrada.

Pular refeições – Com a correria do dia a dia, pular uma refeição acaba sendo um erro bastante comum. Devemos comer de três em três horas para fazer com que o organismo entenda que ele não vai ficar sem energia. Assim, evitamos com que ele armazene em forma de gordura ao invés de queimar.

Não comer verduras e legumes -O fato de não inserir legumes e verduras é prejudicial porque o corpo terá uma menor ingestão de fibras. As fibras ajudam com a sensação de saciedade. Se a pessoa não ingere fibras, vai acabar comendo outras coisas que não deveria. Além disso, controlam o colesterol, a glicose  e funcionam como um fator protetor. O ideal é que o hábito seja incentivado sempre, mas, caso isso não seja possível, uma dica é incluir mais opções no prato gradativamente, até identificar os legumes e verduras de preferência.

Fontes:  Terra Eufic, Minha Vida

Artigos da Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO:

Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO #1

Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO #2

Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO #3

Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO #4

Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO #5

Série ERROS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO #6

Anúncios

Meditação faz bem para a terceira idade

Com a chegada da terceira idade, é comum que alguns problemas de saúde comecem a aparecer ou, caso já existam, exigir mais atenção e cuidados. Embora a indústria farmacêutica ofereça muitos produtos, a meditação pode ser uma poderosa medicina alternativa para os idosos.

Segundo pesquisas realizadas pelo Setor de Estudos do Envelhecimento da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a meditação faz bem para a saúde, diminuindo consideravelmente doenças crônicas como hipertensão, diabetes e depressão.

O estudo foi feito com 140 idosos paulistanos e cerca de 60% deles sentiram os benefícios da meditação praticando o exercício duas vezes por semana, em períodos de 20 minutos, durante dois meses. Além da melhora das doenças crônicas, a atividade ajuda reduzir o estresse, fortalece o sistema imunológico e também o nervoso.

Fonte

LONGEVIDADE: MEDITAÇÃO COMBATE A SOLIDÃO NO IDOSO

As pessoas idosas sofrem com a Síndrome do ninho vazio e não é para menos, filhos casam e muitas vezes o parceiro morre.

Depois de tudo, ainda a solidão?

Imagine uma pessoa que viveu uma vida de contatos familiares e atividades sociais, mas que depois de tantos anos acaba perdendo tudo isso gradativamente até o limite final. É o que acontece com a grande maioria dos idosos e não deve ser tarefa fácil encarar isso.

Mas enfim descobre-se que para reduzir esse sentimento negativo e limitar os efeitos da solidão, poucos tratamentos são efetivos, mas uma pesquisa da Universidade da Califórnia aponta para um modo simples de compensar os sentimentos de solidão: a meditação.

Meditação

O pesquisador Steve Cole afirma que com treinos simples de meditação o idoso já pode começar a sentir o efeito sobre a solidão já nos primeiros 2 meses desse tratamento e ainda mais:

  • a meditação reduz os sintomas do estresse;
  • faz com que os idosos fiquem mais atentos aos pensamentos focados no presente;
  • e passa a projetar suas ações no futuro de forma mais positiva.

Veja a conclusão do cientista:

  • “Nosso trabalho é uma das primeiras evidências científicas de que uma intervenção psicológica diminui os sentimentos de solidão assim como impactam positivamente o organismo”;
  • “O estudo traz novos dados sobre os benefícios de técnicas de meditação para a saúde física e mental. Os resultados são bastante animadores e esse tipo de intervenção pode trazer de volta a qualidade de vida que muitos idosos perdem com o tempo e com o afastamento das pessoas queridas e próximas”.

Veja a posição do Dr. Sandro Tubini (psicólogo e psicoterapeuta da capital paulista) sobre este tema,“Claro que essa descoberta é importantíssima para um sobreganho na qualidade de vida do idoso, mas a vida do idoso não pode ser composta apenas de meditação, a famíllia tem a responsabilidade cívica e moral de manter o parente idoso próximo, bem tratado e com carinho. Isto tudo chama-se: Respeito”.

Fonte

Lareira comemora o Dia Internacional do Idoso

DSC01410QUALIDADE DE VIDA – Desde 1946, a instituição Lareira – Mons. Benedicto Mario Calazans tem como missão orientar e acompanhar as famílias de um modo geral, tanto cultural, social e espiritualmente, tornando-se um espaço de convivência para a comunidade crescer no conhecimento, refletir sobre seus interesses e repensar o seu papel e o seu valor.

Instalada há 28 anos na Vila Mariana, a instituição se destaca no bairro por oferecer uma série de atividades culturais e sociais aos seus moradores. E é através do Projeto “Na Flor da Idade” que vem se destacando no bairro. E o melhor, atividades gratuitas.

DIA INTERNACIONAL DO IDOSO

Para comemorar o Dia do Idoso, celebrado no dia 1 de outubro, a Instituição em parceria com a Livraria Paulinas, está preparando uma série de atividades festivas para este mês de outubro entre elas Palestra sobre Ser Feliz na terceira idade ministrada pela Dra. Anna Anita Tarasiewicz,  exposição de  objetos de  artesanato feito pelas frequentadoras,  e apresentação de uma peça teatral no auditório da Livraria, situada no Lgo. Ana Rosa, apresentação musical, entre outras  atividades festivas como bingo,  e apresentação musical e aula de nutrição.

Confira a Programação que estará disponível no site das duas Instituições a partir do mês de outubro. As festividades estarão abertas  ao público. Site: www.lareira.org.br   /  www.paulinas.com.br

REPERTÓRIO DE CURSOS E OFICINAS

Além de diversas atividades de bem-estar voltada para a população idosa, a Lareira também possui uma vasta programação que inclui, Formação Familiar, Palestras Culturais, Cursos Livres e Atividades Espirituais para toda a família. Há também cursos gratuitos voltados para a capacitação profissional objetivando a inserção no mercado de trabalho, com destaque para as aulas de Formação para Garçons e Garçonete. Oferece também aulas de alfabetização para jovens e adultos.

SERVIÇO E INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Toda a programação pode ser conferida no site www.lareira.org.br. Também é possível conhecer o local ou buscar mais informações de segunda a sexta,das 13h às 18h.A instituição encontra-se localizada na rua Áurea, 324 – Vila Mariana. Mais informações pelos telefones (11) 5572- 4138 / 5572- 3985.

Fonte: Jornal Folha da Vila

A rotina de Licia e Ryan fotografada pela neta

Licia e Ryan casaram-se há 57 anos na Itália. Os dois passaram toda a vida juntos e estão hoje com 85 anos. Durante dois anos a fotógrafa italiana e neta do casal Marina Rosso fotografou os avós de 2009 à 2011, durante sua visita nos almoços de domingo. Marina afirma que depois que começou a fazer as fotos dos avós, ela foi capaz de promover um relacionamento mais próximo entre eles.

Com um ritmo um pouco mais lento, todos os dias parecem com os outros. É como se cada movimento fosse uma repetição. Mas é isso que os mantém ainda vivos: a ideia do casal ser auto-suficiente e ajudando, toda hora, um ao outro.

Com esta série íntima, é evidente a parceria, o envelhecimento, a cumplicidade, o amor e o compromisso mútuo. “É difícil, em um determinado ponto, dizer onde um termina e o outro começa.“, observa a neta, carinhosamente.

Fonte

O que acontece quando uma creche é instalada dentro de um lar para idosos?

creche-casa-de-repouso-1

Já pensou em uma creche que funciona no mesmo endereço que um lar para idosos ? Essa ideia foi colocada em prática pela pré-escola Intergenerational Learning Center e pela casa de repouso Providence Mount St. Vincent, ambos de Seattle, nos EUA, e deu origem ao documentário “Present Perfect” (Presente Perfeito) do diretor Evan Briggs.

“Cerca de 43% dos idosos vivem a experiência do isolamento social, que está diretamente ligada à solidão, depressão, assim como ao declínio mental e físico”, mostra o diretor no documentário.

Por isso, diariamente, crianças de até 5 anos crianças interagem com os 400 idosos moradores do lar numa variedade de atividades, como música, dança e arte. O objetivo das instituições é ajudar as crianças a aprenderem sobre o processo de envelhecimento normal, aceitar as pessoas com deficiência e ajudá-los a reduzir o medo de adultos mais velhos. Além disso, a iniciativa é uma alternativa para esquivar os idosos da solidão, comum para quem costuma envelhecer isoladamente.

Em entrevista ao ABC News, o diretor do documentário Evan Briggs disse que minutos antes das crianças chegarem ao local, os moradores pareciam sonolentos, sem vida. Mas assim que elas entraram e começaram a interagir por meio das atividades, “os residentes pareciam reviver”.

Fonte